Morre Zeca Borges, coordenador do Disque-Denúncia, aos 78 anos no Rio

Ele sofreu um infarto no miocárdio.

Escrito por Renata Sena 03/12/2021 09:38, atualizado em 03/12/2021 09:21
Zeca, que não estava doente e apresentava boa saúde
Zeca, que não estava doente e apresentava boa saúde . Foto: Reprodução/Internet

Criador e coordenador do Programa Disque-Denúncia, Zeca Borges, de 78 anos, faleceu na madrugada desta sexta-feira (03), após sofre um infarto no miocárdio. 

Zeca, que não estava doente e apresentava boa saúde, chegou a ser socorrido para um hospital na Zona Sul do Rio de Janeiro, mas não resistiu, segundo a assessoria do Disque-Denúncia. 

Coordenador do DD e atuante deste 1995, quando fundou o programa, Zeca se orgulhava da importância e da relação de confiança que a população tem com o Disque-Denúncia. 

   

 

Zeca se orgulhava da importância e da relação de confiança que a população tem com o Disque-Denúncia
Zeca se orgulhava da importância e da relação de confiança que a população tem com o Disque-Denúncia | Foto: Reprodução/Internet
 

Esse ano, quando o programa completou 26 anos, Zeca usou suas redes sociais para agradecer e mostrar resultados.  

" Mais de 2,7 milhões de denúncias e 218 mil horas de serviço em mais de 9 mil dias de trabalho, ajudaram as polícias a combater o crime no Rio de Janeiro. Ajudamos a autuar e a prender mais de 20 mil criminosos. Participamos de apreensões de armas e drogas, atuamos no desmantelamento de quadrilhas de roubos de cargas, auxiliamos na localização de pessoas desaparecidas, lutamos contra os crimes ambientais e até mesmo contra o coronavírus. Em todos esses momentos nós estávamos lá. E sempre estaremos", disse Borges. 

O resultado de sua iniciativa fez tanto sucesso, que o Disque-Denúncia passou a ser usado em todos os estados brasileiros, sendo aplicado também no Chile e na Argentina. 

Zeca sempre mostrou a importância dessa relação de confiança com a população e fazia diversas campanhas para que o Disque-Denúncia não acabasse. 

Borges deixou esposa, filhos e netos. Sua partida também abalou quem trabalhava com ele. "Não perdi um chefe, perdi um grande amigo, um segundo pai. Seu legado tem que ir a frente, e mais forte ainda", definiu um de seus colegas de trabalho. 

A equipe ainda não divulgou detalhes sobre o sepultamento de Zeca Borges.

O governador Cláudio Castro manifestou seu pesar : O Rio de Janeiro perdeu um dos maiores defensores da paz e da justiça em nosso estado. Zeca Borges criou e coordenou o Disque-Denúncia, uma das mais poderosas ferramentas à disposição da sociedade, que ajudou a prender mais de 20 mil criminosos. Uma iniciativa pioneira e inestimável para a segurança pública tão bem sucedida que foi levada a outros estados e países. Expresso minha gratidão pelo trabalho fundamental e pelo legado que Zeca nos deixou e minha profunda solidariedade à família e aos amigos". 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas