Caso Flodelis: Deputada teria dito para seu filho ‘Deixa o luto, e vida pra frente. Aqui não tem luto’, dias depois de crime

Wagner Andrade Pimenta, o Misael, pediu para dar seu depoimento sem a presença de seus irmãos Flávio e Lucas

Escrito por Redação 23/11/2021 20:34, atualizado em 23/11/2021 21:33
Esposa de Misael, teria dito que Flordelis teve uma conversa com Deus e que ele teria revelado que pastor “não duraria muito tempo”
Esposa de Misael, teria dito que Flordelis teve uma conversa com Deus e que ele teria revelado que pastor “não duraria muito tempo” . Foto: Reprodução

Durante depoimento para júri nesta terça-feira (23), Wagner Andrade Pimenta, o Misael, filho da pastora Flordelis, confirmou que seu irmão Flávio dos Santos, disse para ele que atirou no pastor Anderson do Carmo, porém teria se arrependido de ter matado o padrasto. Misael ainda contou que sua irmã Simone, Marcio Buba (motorista e amigo da família) e a sua sobrinha Rayane, citaram sobre os abusos feitos pelo pastor com as crianças da família.

O terceiro depoimento de Misael, neste primeiro dia, durou por volta de 50 minutos. Ele ainda pediu para não depor com a presença de seus irmãos, Flávio e Lucas. “Dias após o crime, a minha mãe me cobrou apoio e eu disse para ela ter calma, que estava de luto ainda. Ela disse para eu deixar o luto, vida para frente, que ’aqui não tem luto não’”, falou Misael, durante a oitiva.

Misael é um dos quatro filhos de Flordelis que quebrou a “lei do silêncio”, que foi imposto na casa da ex-deputada federal e tomou a decisão de revelar o que realmente ocorreu na morte do pastor. Wagner ainda contou que o pastor não levou a situação a polícia, quando ainda estava vivo, pois, não queria expor a família e Flordelis.

Misael e Daniel dos Santos procuraram a polícia, no dia seguinte do crime. Contaram que a morte de Anderson já era planejada pela família. Misael, apontou a mãe com a cabeça do crime, ou, ‘mentora intelectual’, quando revelou tudo para os investigadores. Daniel, por outro lado, disse que o sofrimento da mãe e alguns irmãos durante o enterro era teatro. Eles revelaram mais uma vez, que a vítima já sabia o que iria ocorrer.

Além deles, a uma previsão para mais 12 testemunhos no julgamento, que foi iniciado nesta tarde de terça-feira (23), no plenário do Tribunal do Júri em Niterói. Ao todo são 14 depoentes, três deles foram dispensados. Roberta dos Santos e Alexander Felipe Matos Mendes, o Luan, fazem parte dos membros da família que decidiram contar para a polícia os detalhes da trama.

Logo depois de Misael, sua mulher, Luana, foi ouvida pelo tribunal. Ela confirmou que um pouco antes do crime, Flordelis reclamava muito sobre o pastor e que Deus havia lhe dito que Anderson “não duraria muito tempo”.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas