Gaslub: Políticos e líderes de entidades se reúnem no 'Encontro para o desenvolvimento regional' em Itaboraí

O evento ocorreu nesta segunda-feira (08)

Escrito por Ana Carolina Moraes 08/11/2021 14:59, atualizado em 08/11/2021 15:58
Líderes e políticos se reuniram em evento em Maricá
Líderes e políticos se reuniram em evento em Maricá . Foto: Filipe Aguiar

Itaboraí e os municípios ao seu redor viverão uma nova fase com mais oportunidades de emprego e investimentos. Foi o que ficou decidido no 'Encontro para o Desenvolvimento Regional' que ocorreu Avenida 22 de Maio, no número 3428, em Outeiro das Pedras, Itaboraí, nesta segunda-feira (08). O evento contou com líderes políticos de diversos municípios do Rio e do Estado, juntamente com representantes de diferentes entidades. Na reunião de abertura desse primeiro evento, foi discutido, por exemplo, a atração de investimentos do Polo GasLub (antigo Comperj), novo foco do município, que beneficiará São Gonçalo e regiões vizinhas. 

No local, estiveram presentes diversas autoridades do Estado do Rio de Janeiro. Uma delas foi Vinicius Farah, que está a frente da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Emprego e Relações Internacionais (SEDEERI), deputado federal licenciado, ex-prefeito de Três Rios e empresário. Ele representou o Governo do Estado no local e o governador Cláudio Castro que, apesar de ter confirmado presença, acabou não comparecendo por compromissos de agenda.

No evento, o secretário falou sobre o projeto de 'Encontro de Desenvolvimento Regional', que ocorrerá em 13 regiões ao todo, com Itaboraí sendo a primeira destas. Em cada uma dessas regiões, o Estado fomentará políticas públicas e buscará, por meio desses encontros, saber as diferenças e potencialidades de cada uma dessas áreas para que elas possam ser trabalhadas . "Começamos por Itaboraí pelo renascimento do famoso Comperj, que iludiu e quebrou todo mundo por uma década. Era um projeto que não era factível de pôr em prática, mas hoje as entidades estão entregando esse projeto incrível do GasLub", afirmou. Ele confirmou ainda  que, após as 13 reuniões, o Estado estará preparado, ágil e desenvolvido economicamente.

Em uma entrevista exclusiva ao OSG, Farah explicou sobre os próximos passos que serão dados para a continuação do projeto em Itaboraí, que deve ser finalizado até meados do próximo ano. "Aqui, ao final do encontro, teremos uma definição de conhecimento, de mapeamento, de vulnerabilidades e gargalos que o município de Itaboraí e a região têm e, através disso, nós, da secretaria de desenvolvimento, vamos preparar um plano de ação. É como se preparássemos previamente tudo aquilo que os municípios vão ter que fazer para receber a quantidade de negócios e investimentos que a operação do GasLub vai gerar. É como se tivéssemos fazendo tudo previamente, pois não adianta depois que a operação começar, entre junho e julho do ano que vem, as prefeituras das regiões prospectarem as suas ações", contou ele, afirmando que o Rio de Janeiro produz 73% do gás natural do país.

Líderes assinaram uma Carta de Compromisso do projeto
Líderes assinaram uma Carta de Compromisso do projeto | Foto: Filipe Aguiar
 

O secretário também afirmou que os governos municipais devem agir em parceria com o do Estado para que o projeto do GasLub funcione. A ideia é beneficiar Itaboraí e a região em torno. "A gente quer construir uma política de qualificação profissional da mão de obra local e, através desses encontros, conseguir também enxergar as necessidades de qualificação que o mercado exige, e, assim, inserir o poder público municipal na forte política das compras públicas, que é a maior ferramenta para mim do aquecimento econômico local. Queremos também poder interagir com a Petrobrás, para que ela consiga mostrar quais são as suas necessidades para que um projeto do tamanho desse possa ser consolidado. Após isso, o governo do Estado atento, previamente, entregará esse cenário pronto para o gestor municipal e, através de parceria do município com o Estado, a gente vai poder ajudar os distritos industriais. O Estado não faz pela prefeitura a parte que é dela, precisamos também que esse poder municipal atue. Por exemplo, é dever dos municípios do projeto conseguir ter uma área própria onde vamos colocar recursos para fazer toda a infraestrutura de condomínios industriais. É uma forte parceria, mas todos tem que fazer sua parte. Estamos preparando Itaboraí e os municípios vizinhos, previamente, para o futuro", afirmou ele. O projeto tem uma expectativa de gerar 10 mil empregos diretos, com quase R$ 20 bilhões de investimento. 

Para as reuniões, o Estado dividiu o Rio em treze partes. A região de Itaboraí inclui também o desenvolvimento de Cachoeiras de Macacu, Itaboraí, Rio Bonito, São Gonçalo e Tanguá. "A gente já sabe o potencial de cada uma das trezes regiões, então, promovemos esses encontros para, no final deles, ter esse mapeamento preciso da necessidade de mão de obra, da necessidade de legislação específica, tributária para melhorar e cada vez mais implementar no projeto. É ao mesmo tempo simples, na visão de quem quer fazer direito, mas muito eficaz. Não tenho dúvida de que vai ser um divisor de águas na consolidação do Estado do Rio de Janeiro", afirmou.

No local, também esteve presente o presidente da Petrobrás Joaquim Silva e Luna. Ele falou sobre como a Petrobrás se sente com confiança nos novos passos desse projeto do Polo GasLub. "Em 2020, mesmo na fase mais intensa da pandemia, mantivemos nosso elevado padrão de entregas e investimos bilhões de reais em contratos com empresas da região. Realizamos investimentos em pesquisas, em desenvolvimento e projetos socioambientais, apostando no nosso povo. Conseguimos, com essa melhoria contínua, ter uma Petrobrás cada vez mais forte, mais resiliente e preparada para atuar de forma sustentável, ambientalmente segura e competitiva em longe prazo (...) Iniciativas de desenvolvimento como estas, voltadas para a união entre indústria e estado, elevam nossa confiança mesmo em cenários tão desafiadores. Seguimos altamente convencidos e comprometidos em continuar contribuindo para um presente e um futuro de crescimento, oportunidades, emprego e renda para o nosso estado do Rio de Janeiro e para o nosso país", afirmou ele que contou que foi no dia 10 de setembro que ocorreu a assinatura do protocolo de intenções do GasLub. 

Diversos presentes destacaram como o gás natural é o futuro do mundo e, como esse investimento no GasLub, tem tudo para dar frutos positivos para a população num geral. 

"Já foi prometido muito e nada aconteceu (sobre o antigo projeto da Comperj). Eu quero dizer que dormimos milionários e acordamos pobres, pessoas investiram tudo o que tinham na vida em patrimônio, imóveis e móveis, empresas vieram aqui e construíram grandes prédios, que hoje estão vazios. Nós queremos voltar com todas as nossas forças e fazer o que pudermos e o que não pudermos, que tentaremos fazer, para que possamos de novo voltar a sonhar (...) e ajudar o Estado do Rio. Queremos que nosso povo volte a sonhar com o desenvolvimento sustentável, com o pé no chão e queremos e vamos estar à frente desse projeto para que isso ocorra de forma sustentável. Não abrimos mão de ter a condução desse processo para que possamos dar para o nosso povo aquilo que o secretário disse: emprego, dignidade, sustentabilidade e traga para eles o resultado daquilo que está dentro do nosso quintal, que é o gasoduto. Nós sabemos a importância (do projeto) não só para Itaboraí, mas para todo o entorno, como já dito pelo secretário", afirmou Lourival Casula (PT), vice-prefeito de Itaboraí, que disse que os municípios ao redor e de Itaboraí estão se preparando, com prioridade, para ter os condomínios empresariais. 

Lourival Casula, vice-prefeito de Itaboraí, esteve no evento
Lourival Casula, vice-prefeito de Itaboraí, esteve no evento | Foto: Filipe Aguiar
 

Bento Albuquerque, atual Ministro de Estado de Minas e Energia, também se mostrou muito ansioso e otimista com todo o comprometimento dos agentes e entidades que estavam no local com o projeto. "Eu costumo dizer que otimismo não é apenas um estado de espírito, ele tem que ser baseado em fatos, na realidade, para que aí sim ser possível ver a sensação exata do que significa otimismo. O Estado do Rio de Janeiro, como eu costumo dizer, é a capital da energia do Brasil. Aqui temos, como já foi mencionado, praticamente 80% da produção do petróleo e gás e temos também as usinas nucleares, como as de Angra, e as indústrias de energia e de mineração. Então, o estado do Rio de Janeiro não é um dos maiores da federação, mas é um dos mais importantes da federação. E nesse Estado, nos últimos 14 meses, muita coisa tem acontecido fruto das políticas públicas que o governo federal vem implementando desde 2019. Só nos últimos dois meses, por exemplo, tivemos juntos cinco vezes lançando o Programa de Revitalização e Incentivo à Produção de Campos Marítimos (Promar), tivemos em Macaé, no Porto de Açu, na cidade do Rio. Então, nos últimos dois meses foram cinco encontros para falar de emprego e renda. (...) Agora, aqui, em Itaboraí, estamos viabilizando a chegada do gás natural, mas também da parceria público-privada. Aqui, em Itaboraí, o Comperj, uma obra que começou em 2006 e deveria ter terminado em 2012, trouxe apenas um prejuízo de R$ 28 bilhões para a Petrobrás. Se nós quiséssemos hoje atender a todas as pessoas vulneráveis nesse país que estão no cadastro único com um botijão de gás gastaríamos por ano R$ 9 bilhões, nós poderíamos, durante 3 anos, com o dinheiro desperdiçado, fornecer gás GLV para todos esses cidadãos, mas isso não importa, não adiantar culpar o passado, que não gera energia, nem emprego e nem renda. O que gera emprego e renda é o que estamos falando aqui, que, a partir do ano que vem, 21 milhões de metros cúbicos de gás natural estarão chegando em Itaboraí e é o que vai viabilizar os empreendimentos e a reindustrilização do Rio de Janeiro e vinda de novos parceiros", contou ele, que ressaltou que a importância das entidades agirem junto com o estado e as prefeituras, tornando tudo isso possível. 

A mesa de abertura do evento ocorreu às 9h. Nela, ocorreu a assinatura da Carta de Compromisso do projeto. O documento foi assinado por Rafael Miranda, atual prefeito de Cachoeiras de Macacu; Igor Sardinha Secretário de Desenvolvimento Econômico de Maricá, que representou o prefeito do município Fabiano Horta; Leandro Pereira Neto, prefeito de Rio Bonito; Marcio Picanço, atual secretário de Desenvolvimento Econômico de São Gonçalo, representando o Capitão Nelson; Rodrigo Medeiros, prefeito de Tanguá; Lourival Casula, vice-prefeito e secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Itaboraí; Júlio César Rezende, vice-presidente da Fecomércio-RJ e diretor de Produtos e Atendimento do Sebrae RJ; Celso Mattos, Vice-Presidente da FIRJAN; e Rafael Bastos Silva, secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME); Vinicius Farah e Bento Albuquerque. 

Líderes de diversos municípios e empresas estiveram no local
Líderes de diversos municípios e empresas estiveram no local | Foto: Filipe Aguiar
 

Após a reunião de abertura, que começou às 9h da manhã, ocorreu a reunião da governança de aglomeradores empresariais da região e, no período da tarde, ocorreu uma oficina de com o panorama do desenvolvimento regional (com a divulgação de um questionário online nas redes sociais para a participação do público e oficinas de lideranças públicas e privadas na região levando em conta alguns fatores para a elaboração de um panorama sobre o desenvolvimento econômico da região). No local, também haviam stands de empresas parceiras e que estão no projeto, como a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Emprego e Relações Internacionail (SEDEERI) do Estado, o Instituto Proa, o Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro (CRCRJ); a Fecomércio RJ; a Firjan; o Sebrae, o AgeRio, o Codin, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) e a Jucerja.

O próximo 'Encontro para o Desenvolvimento Regional' deve ocorrer, segundo informações, ainda no final deste mês, em Macaé. As reuniões ainda ocorrerão em outros municípios, como Campos dos Goytacazes, Volta Redonda, Três Rios, Petrópoles, Teresópolis, Itaperuna e etc.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas