Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 5,1937 | Euro R$ 5,5292
Search

Friocruz recomenda vacinação de adolescentes para retorno presencial às aulas

Decisão deve ser tomada entre profissionais, pais e alunos, recomenda a instituição

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 23 de agosto de 2021 - 18:08
Instituição recomenda que jovens entre 12 e 18 anos sejam vacinados logo
Instituição recomenda que jovens entre 12 e 18 anos sejam vacinados logo -

Um levantamento feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) recomenda que os jovens de 12 a 18 anos comecem a ser imunizados para um retorno mais rápido ao ensino presencial e à pratica de atividades esportivas e outras modalidades.

Segundo a coordenadora do grupo de trabalho criado sobre o assunto e assessora da Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS), Patrícia Canto, o fechamento prolongado de turmas, escolas e interrupções de aprendizagem pode ser reduzido significativamente com a vacinação dos adolescentes. 

A instituição publicou um material - que é uma versão atualizada de uma já divulgada em março - com um conjunto de orientações e recomendações sobre as atividades escolares. Segundo a Fiocruz, o material é baseado em evidências e informações científicas e sanitárias, nacionais e internacionais.

Entre o novos pontos abordados no documento, estão a vacinação de crianças e adolescentes contra a Covid-19; a transmissão da doença e os possíveis riscos em ambientes fechados e como evitá-los. 

Segundo os pesquisadores, para que as escolas retornem com as atividades presenciais em um cenário de alta transmissão comunitária do vírus serão necessárias as manutenções de algumas medidas, como uso de máscaras, ventilação e melhoria da qualidade do ar dos ambientes, orientações sobre higienização contínua das mãos, manutenção do distanciamento e rastreamento e monitoramento de casos. 

Ainda de acordo com a instituição,  a decisão sobre o melhor momento para a reabertura deve seguir as orientações dos indicadores epidemiológicos. Alunos e funcionários que apresentarem qualquer sintoma respiratório devem ficar em casa. 

Para os especialistas, o retorno às atividades presenciais de ensino deve ser aprovado após discussão com a comunidade escolar, além de envolver alunos, crianças, adolescentes ou adultos nas tomadas de decisões.

Matérias Relacionadas