Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,0950 Euro up 5,2657
Search

SG inicia obra de 'mercadão popular' em Alcântara e população aprova: "Vai fazer com que as coisas funcionem"

As obras tiveram início na última quinta-feira (19)

relogio min de leitura | Escrito por Ana Carolina Moraes | 20 de agosto de 2021 - 14:29
As obras tiveram início ontem (19)
As obras tiveram início ontem (19) -

“O que eu posso dizer é que uma nova história começa em Alcântara a partir desta obra.” Foi essa a frase usada pelo secretário de Desenvolvimento Urbano, Junior Barbosa, para descrever as obras de construção de um calçadão para os ambulantes na Estrada Raul Veiga, no bairro do Alcântara, em São Gonçalo. No local, ocorrerão também intervenções de iluminação pública e paisagismo, buscando dinamizar o acesso de pedestres. As obras tiveram início na última quinta-feira (19), no trecho entre a Rua Manoel João Gonçalves e a Rua Antônio Sodré, mas já causaram brilhos aos olhos de diversas pessoas, incluindo lojistas e camelôs.

A comerciante Mirilandes de Paula Oliveira, de 43 anos, tira o seu sustento e de sua família de uma banca de hortifrúti. Ela também representa diversas das pessoas da categoria que tem seus comércios nas calçadas da Estrada Raul Veiga. A promessa, para ela, é que, com as obras, sua banca e de outros trabalhadores passe a ocupar o centro do local. Na rua em questão, só poderão circular, a partir de hoje (20), pedestres e lojistas, excluindo veículos automotores e outros.

“Esse foi o propósito do prefeito Capitão Nelson. Ele já nos ajudava antes como vereador, mas, na época da eleição, estávamos sem trabalhar, passando sufoco. Ele fez um trato com a gente de que ganhando as eleições ia ajudar todo mundo, quem tem licença e quem não tem. Os camelôs de São Gonçalo fecharam com eles, eles ganharam e estão fazendo esse trabalho com a gente. Essa obra vai ser boa tanto para o lojista quanto para os camelôs. O prefeito fez uma reunião e todos nós entramos em acordo que ele pegaria esse espaço da Raul Veiga, que tinha muito ônibus e era perigoso, para criar um calçadão e abrir um camelódromo. Vai ter espaço pra todo mundo, tanto para o lojista quanto para os camelôs. O desemprego está grande na pandemia e ele viu uma forma de nos ajudar. Ele abraçou a nossa causa”, contou ela.

A comerciante Mirilandes de Paula Oliveira tira o sustento de sua família com a sua barraca de hortifrúti localizada na via
A comerciante Mirilandes de Paula Oliveira tira o sustento de sua família com a sua barraca de hortifrúti localizada na via |  Foto: Kiko Charret
 

Tanto ela, quanto os lojistas do bairro gostaram da iniciativa. Com o calçadão, os camelôs poderão ficar na região central da região e, consequentemente, desocuparão as calçadas, que serão mais acessíveis para o intenso fluxo de pedestres do Alcântara que, por sua vez, poderão ver melhor as vitrines das lojas da rua em questão. O comércio será fortalecido de todos as formas.

Essa também é a opinião do presidente da Associação Comercial, Empresarial, Industrial e Rural de Alcântara (ACEIRA), Fabiano Rodrigues, de 44 anos. Ele também acredita que, com a nova obra, os camelôs realocados para o centro do futuro calçadão serão todos regularizados.

"Esse projeto existe desde 2012 e está sendo implementado neste governo. A ideia é criar um shopping popular a céu aberto, pegando os vendedores informais (camelôs), regulamentados ou não, e os colocar no centro da via. Soube que, assim, as calçadas serão mais limpas, o caos da região será reorganizado e as lojas também receberão mais clientes, que poderão ver bem as vitrines. Se tudo for regulamentado, como o prometido, o Alcântara só terá benefícios. Vai fazer com que as coisas funcionem bem por aqui para consumidores, lojistas e para o município, junto com o governo", disse o presidente da associação.

O presidente da Associação Comercial, Empresarial, Industrial e Rural de Alcântara (ACEIRA) e o secretário de Desenvolvimento Urbano estiveram no local
O presidente da Associação Comercial, Empresarial, Industrial e Rural de Alcântara (ACEIRA) e o secretário de Desenvolvimento Urbano estiveram no local |  Foto: Kiko Charret
 

A comerciante Chiha da Corte, de 46 anos, trabalha próximo da Rua Raul Veiga e acredita que poderá desafogar até os camelôs que ficam na sua região. "Vai ser melhor no quesito de estacionamentos de carros, na circulação de pessoas e na movimentação comercial. O local ficará próximo de pontos de ônibus e de um mercado, o que é bom, já que ali tem um grande fluxo de pedestres, mas, vamos ver se a obra vai cumprir tudo o que estão prometendo para melhorar o Alcântara", disse ela.

Quem também se mostrou satisfeito com a obra foi o taxista Edilson Santos, de 70 anos. Ele, que mora no Pacheco, tinha um ponto de táxi na Estrada Raul Veiga, mas, com a obra, acabou perdendo seu ponto na teoria, mas, na prática, não foi isso o que aconteceu. "Aqui no Alcântara sempre tem trânsito, principalmente às sextas-feiras. A gente só vai saber mesmo como vai ficar nosso ponto de táxi depois da obra pronta, mas os agentes da Prefeitura já fizeram promessas de arrumarem um ponto para gente e, por enquanto, estamos usando aqui a beira da rua que não está em obra para colocar nossos táxis. Têm mais pessoas passando por aqui, o que ajuda no número de clientes por enquanto, já que, antes da obra, a rua tinha muitos carros e ônibus e não circulava tanta gente pela via, apenas apertadas nas calçadas", contou ele que é taxista há 25 anos.

Falando sobre a obra, a gonçalense Jaqueline Ferreira do Couto, de 54 anos, disse que se sente muito satisfeita pelo planejamento. "Eu quero dizer que nós gonçalenses estamos satisfeitos com essa gestão, vendo coisas de melhoria, de qualidade para o município. Em gestões anteriores, os políticos não se importaram com o Alcântara, onde a renda per capita impacta o município. Temos que expressar nossa alegria nessa gestão, sei que trata de uma equipe empenhada", contou a funcionária pública.

A funcionária pública Jaqueline Ferreira do Couto também passou pelo local
A funcionária pública Jaqueline Ferreira do Couto também passou pelo local |  Foto: Kiko Charret
 

O projeto da obra traz diversas expectativas para os mais diversos setores de gonçalenses. Agora, basta aguardar para ver os resultados na prática. Indagada sobre o projeto e o prazo para o término das obras, a Prefeitura Municipal de São Gonçalo ainda não se pronunciou sobre o tema.

As obras tiveram início na última quinta-feira (19)
As obras tiveram início na última quinta-feira (19) |  Foto: Divulgação/Renan Otto
 

Matérias Relacionadas