Jovem vítima de AVE tem benefício negado pelo INSS duas vezes e tenta auxílio novamente

Ela terá uma nova perícia nesta quarta-feira (11)

Escrito por *Matheus Mattos 10/08/2021 10:04, atualizado em 10/08/2021 12:35
A jovem Jéssica Paz da Cunha que sofreu um AVE
A jovem Jéssica Paz da Cunha que sofreu um AVE . Foto: Reprodução

A jovem Jéssica Paz da Cunha, de 25 anos, vítima de um Acidente Vascular Encefálico (AVE) em outubro de 2020, já deu entrada no benefício do INSS em duas oportunidades, mas recebeu negativas em ambos os casos. Na primeira, o pedido foi indeferido por falta de carência e na segunda caiu em exigência parte da documentação. A família vive um drama pessoal e está em busca apenas do direito da jovem.

"Pedi a perícia da Jéssica junto ao INSS em maio de 2021 e deu indeferida por falta de carência. Peguei os comprovantes de pagamentos junto à empresa que Jéssica trabalhou e agendei mais uma perícia. Apresentei à previdência e fiquei aguardando até que caiu em exigência documentos que levei em toda ida à previdência, porém não pedida no ato da perícia. Levei todos os documentos exigidos e mais uma vez estão exigindo outros documentos. Foram apresentados todos os comprovantes de pagamentos da empresa ao INSS e até agora nada", contou Eliane Ribeiro Paz da Cunha, mãe da jovem, sobre a dificuldade de conseguir o benefício.

A moradora do Laranjal, em São Gonçalo, contou que está desempregada e que Jéssica não tem condições de trabalhar. Ela ainda revela que o marido perdeu o emprego na pandemia e a situação está bastante complicada.

"No momento eu estou desempregada, porque na época eu trabalhava como doméstica e tive que sair do emprego para cuidar da Jéssica e me dedicar ao tratamento dela. Meu esposo também já estava desempregado devido à pandemia. O que realmente nos ajudou foi a vaquinha da Jéssica na época. Realmente estamos numa situação difícil. A Jéssica estava noiva, mas tivemos que reduzir tudo e adiar o casamento, pois a preocupação é com a reabilitação dela. Ainda temos que manter um plano de saúde caro, porque senão ela fica sem tratamento".

Eliane também comenta que foi um momento de muita comoção quando sua filha teve o AVE. 

"Foi um drama para nossa família, amigos e igreja onde Jéssica era muito atuante. Houve uma grande comoção em toda rede social, nossa igreja fez campanha de orações na frente do hospital durante 40 dias, pois a chance da Jéssica sobreviver era muito pequena mediante a gravidade."

Mesmo com todas essas barreiras, mãe e filha vão mais uma vez tentar o benefício, em perícia nesta quarta-feira (11). Apesar de ter esperanças no sucesso nessa oportunidade, Eliane reforça os absurdos que vem passando com o INSS.

"Está agendado para o dia 11 uma nova perícia, espero que dê certo. É um direito dela, está doente, impossibilitada de trabalhar, faz tratamento. É um absurdo! E que tenho que levá-la todas as vezes, sair de casa de cadeira rodas, debilitada, realmente é um absurdo."

Perguntado sobre o caso de Jéssica Paz da Cunha, o INSS emitiu um informe:

"O INSS informa que, para finalizar a análise do requerimento da Sra. Jéssica Paz da Cunha, foi necessária a solicitação de novos documentos. Atualmente, o processo aguarda o envio desta documentação pela segurada.

A Sr. Jéssica pode tomar conhecimento dos documentos solicitados através dos nossos canais remotos - Meu INSS ou central telefônica 135.

Cabe destacar que os documentos podem ser anexados ao processo de forma virtual, sem a necessidade de locomoção, através do Meu INSS (site ou aplicativo para celular)."

*Sob supervisão de Cyntia Fonseca

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas