Movimento de Mulheres conta com nova diretoria em São Gonçalo

Grupo foi eleito pelos próximos cinco anos

Escrito por Ana Carolina Moraes 15/06/2021 10:51, atualizado em 15/06/2021 12:33
Posse aconteceu nesta manhã
Posse aconteceu nesta manhã . Foto: Filipe Aguiar

O Movimento de Mulheres em São Gonçalo (MMSG) conta agora com nova diretoria. Na manhã desta terça-feira (15), ocorreu a posse das novas mulheres que comandarão o movimento que luta contra o feminicídio e violência doméstica. 

Na cerimônia desta terça-feira, comandada por Jantiena de Jonge, tomaram posse as seguintes mulheres: Oscarina Souza Siqueira como Diretora Executiva; Sonia Maria Lopes Figueiredo como vice diretora executiva; Rita de Cassia Vasconcelos da Costa como Diretora Administrativa; Fátima Maria dos Santos como vice diretora administrativa; Esther Silva de Almeida Alcântara como Diretora Financeira; Selma da Rocha Cardozo como Vice Diretora Financeira; Elinea Campinho como Diretora Sociocultural; Kátia Regina Siqueira como Vice Diretora Sociocultural; Eliete Soares como Diretora de Mobilização e Divulgação e Rosângela Maria Sá como Vice Diretora de Mobilização e Divulgação. Além disso, para fiscalizar o trabalho das diretoras, o conselho fiscal elegido é composto por Zilda Rosa da Silva, Alba Valéria Santos e Andrea Luiza da Conceição Clemente dos Santos. 

Estas foram eleitas em 04 de maio de 2021, através do processo de eleição ocorrido entre os membros do MMSG. Elas faziam parte da chapa única denominada ‘Informação com Sustentabilidade é Poder’ e governarão por cinco anos, do dia de hoje (15) até o dia 14 de junho de 2026. 

Dentre as propostas do grupo, na época da eleição, estavam: o enfrentamento das formas de violência, promoção dos direitos sexuais e direitos reprodutivos, promoção da Arte e Cultura, Educação Ambiental, controle social sobre as políticas públicas, ações de empreendedorismo, ações de educação não formal, alimentação integral e saudável, ações que promovem o Esporte e o Lazer, além de se comprometer com ações internas, lojas virtuais e redes sociais do movimento. 

A nova diretora executiva Oscarina Souza Siqueira falou para o OSG como se sente com a nova posse. Esta é a terceira vez que ela é elegida como diretora do movimento e, segundo ela, será a última, pois ela não pretende mais concorrer. 

Oscarina Souza Siqueira é a  nova diretora executiva
Oscarina Souza Siqueira é a nova diretora executiva | Foto: Filipe Aguiar
 

“Para mim, é um engrandecimento ser eleita, pois eu vim para esse movimento com o objetivo de dar uma ajuda no meu bairro, a Fazenda Colubandê, há 27 anos. Eu canalizei essa ideia na minha vida para dar o melhor de mim para ajudar mais mulheres. As políticas públicas têm uma abrangência muito grande e o social mais ainda. Hoje, estamos voltadas para a questão com mulheres, vemos a violência cada vez maior e ficamos nesse amparo para que as coisas melhorem. Continuamos fazendo o nosso trabalho e queremos ir para à rua para conscientizar a mulher de sua autoestima, e levar o conhecimento para que ela procure ajuda e conhecimento”, disse ela. 

Já a fundadora do movimento, Marisa Chaves, contou que, com os recentes casos de feminicídio, o MMSG se torna cada vez mais essencial. 

Marisa Chaves
Marisa Chaves | Foto: Filipe Aguiar
 

“Os índices de violência contra a criança e a mulher em São Gonçalo estão assustadores, sobretudo durante a pandemia da Covid-19, razão pela qual a instituição se manteve aberta para atender os invisíveis sociais e excluídos digitais. Temos ajudado os filhos de 5 e 8 anos da Joselma, que foi morta ao ser queimada viva em abril deste ano, e nos disponibilizando o atendimento para a família da Ana Caroline, morta a facadas em Vista Alegre na última semana. Para o futuro, a nossa expectativa é que o Movimento de Mulheres se articule com outros movimentos sociais de São Gonçalo e região para que juntos possamos combater o machismo, o racismo e o sexismo presente nessa cultura patriarcal do Brasil”, relatou ela. 

Na cerimônia, estiveram presentes autoridades como: Elenice Baptista, presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher de São Gonçalo (CMDM-SG); Alan Figueiredo, Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social; Ana Cristina Silva, subsecretária de Políticas para as Mulheres; e Edinaldo Basílio, Secretário Municipal de Assistência Social de São Gonçalo. 

O MMSG serve como auxílio para as mulheres e as famílias vítimas de violência, do racismo e do machismo sociais. Para aqueles que precisam de ajuda, basta ligar para os números (21) 98464-2179 ou (21) 2606-5003, no site do movimento (https://www.movimentomulheres.com.br) também existe um site com ajuda 24h por dia para quem precisar. O MMSG também tem Instagram (@movimentomulheres_sg) e Facebook (Movimento de Mulheres de São Gonçalo). 

O MMSG se localiza na Rua Rodrigues da Fonseca, 201, no bairro Zé Garoto, em São Gonçalo.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas