Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,3335 Euro up 5,5336
Search

Mães reclamam de atraso no cartão alimentação de alunos da rede municipal de SG

Prefeitura informou que o problema será resolvido até o fim do mês

relogio min de leitura | Escrito por *Claudionei Abreu | 22 de abril de 2021 - 16:19
Iniciativa do novo governo ajuda famílias durante a pandemia
Iniciativa do novo governo ajuda famílias durante a pandemia -

Mães de alunos da rede municipal de São Gonçalo denunciaram ao jornal O SÃO GONÇALO os problemas que vêm enfrentando para conseguir receber o valor do cartão alimentação criado pelo governo municipal. A quantia, correspondente a R$54,20 por criança, serve para auxiliar as famílias durante o período de aulas remotas.

No ano passado, com o início da pandemia de Covid-19 e a suspensão do ensino presencial, a prefeitura de São Gonçalo entregou kits-alimentação, no valor de R$39,10, para atender as necessidades dos alunos durante o período de aulas remotas. No entanto, neste ano, o novo governo da cidade informatizou o processo e substituiu o kit-alimentação por um cartão para dar mais praticidade à ação. Além disso, aumentou o valor para R$54,20, um reajuste de 38,74%. 

Apesar disso, mães com filhos matriculados na rede municipal vêm enfrentando dificuldades nos últimos meses para ter acesso ao dinheiro. Além do atraso, nos casos de alunos que são irmãos, a prefeitura está depositando o valor referente a apenas uma criança. 

"Eu tenho três filhos que estudam na rede do município. O Colégio me deu um cartão que serviria para receber o valor da alimentação para as três crianças, mas quando eu fui sacar o dinheiro havia apenas R$54,20, que corresponde a apenas um aluno. Entrei em contato com a escola e me informaram que iriam depositariam o restante do dinheiro. Mas já faz um mês que deram essa resposta e nada acontece", reclamou Célia Regina, moradora do bairro Porto Novo. 

Apesar de parecer baixo, o valor tem grande importância para muitas famílias que têm enfrentado dificuldades financeiras durante a pandemia de Covid-19.

"Eu trabalhava como acompanhante de idoso, mas acabei perdendo o emprego na pandemia e tive que vender doce na rua. Esse dinheiro é pouco, mas ajuda a gente dentro de casa a sustentar nossos filhos", disse Célia.

Em nota, a Prefeitura Municipal de São Gonçalo informou que "as pendências relatadas serão solucionadas até o final deste mês."

*Estagiário sob supervisão de Thiago Soares

Matérias Relacionadas