Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,0741 Euro down 5,2058
Search

Donos de bares e restaurantes protestam contra novas medidas restritivas em SG

Categoria pede flexibilização no horário de funcionamento

relogio min de leitura | Escrito por *Claudionei Abreu e Ana Carolina Moraes | 06 de março de 2021 - 10:37
Após decreto, donos de bares e restaurantes pedem flexibilização no horário de funcionamento
Após decreto, donos de bares e restaurantes pedem flexibilização no horário de funcionamento -

Cerca de 30 proprietários de bares e restaurantes de São Gonçalo realizaram um protesto no início da tarde desta sexta-feira (5), por volta das 12h30, contra as novas medidas de restrição de circulação para enfrentamento à Covid-19 decretadas quinta-feira (4) pelo prefeito Capitão Nelson (PL). O grupo se concentrou em frente à prefeitura da cidade, no Centro, e cobrou do poder executivo uma flexibilização no horário de funcionamento dos estabelecimentos. 

De acordo com o decreto nº 088/21, publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (04), as medidas de restrição terão validade até o dia 11 de março. A prefeitura afirma que a decisão de impor horário reduzido de funcionamento e/ou fechamento de estabelecimentos foi tomada para evitar aglomerações e conter o aumento de casos de Covid-19 na cidade. Com a nova regra, bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres poderão funcionar no horário de 6h às 18h, limitando o atendimento ao público em 2/3 da sua capacidade de lotação.

Para Phablo Damarcio, presidente da Rota São Gonçalo, grupo que reúne proprietários de bares e restaurantes da cidade, o decreto prejudicou os estabelecimentos porque uma grande maioria abre às 18h, horário que foi estabelecido, pela nova regra, para o fechamento.

"Nós vamos pedir ao prefeito uma flexibilização para possamos manter os estabelecimentos abertos até, no mínimo, 22h ou meia noite. Essa é a nossa reivindicação. O novo decreto prejudicou os bares e restaurantes, que já abrem às 18h. Como que a gente vai abrir às 18h se tem que fechar  às18h? Então tem que haver essa flexibilização", afirma. 

Grupo se reunirá com a prefeitura na próxima segunda-feira (8)
Grupo se reunirá com a prefeitura na próxima segunda-feira (8) |  Foto: Filipe Aguiar/O São Gonçalo
 

Ketlen Ribeiro, proprietária de uma lanchonete no Zé Garoto, afirmou que esteve no protesto em solidariedade aos donos de bares e restaurantes. Ela afirma que, apesar de não ser do ramo diretamente afetado pelo decreto, compreende a importância da flexibilização para os donos dos estabelecimentos. 

"Por decorrência dessas novas restrições, infelizmente tenho colegas que serão muito afetados. Diretamente eu também serei afetada como frequentadora. Estamos querendo uma flexibilização para que eles possam trabalhar porque sabemos o sufoco que eles passaram no último ano", defende.

Os manifestantes afirmam que mais um decreto de restrição de circulação pode ser fatal para as empresas, que vêm tentando se recuperar financeiramente desde o último ano. 

"A gente tem tentado se recuperar desde o ano passado e agora recebemos mais essa pancada de fechamento total. Isso realmente pode ser o fim das nossas empresas", lamentou Joeliton Nogueira, que já atua há três anos no ramo e é proprietário de uma hamburgueria em São Gonçalo.

Representantes apresentarão proposta à prefeitura na segunda-feira (8)

Por volta das 13h, quatro representantes dos donos de bares e restaurantes foram chamados pelo secretário de gestão e projetos especiais da prefeitura de São Gonçalo, Douglas Ruas, que recebeu o grupo acompanhado do secretário de desenvolvimento econômico, Márcio Picanço. No encontro, as partes definiram que será realizada uma nova reunião na próxima segunda-feira (8), onde a categoria apresentará uma nova proposta para flexibilização da restrição, permitindo que os estabelecimentos funcionem até, pelo menos, às 22h, com agendamento prévio e seguindo as regras de proteção contra a Covid-19.

A ideia do grupo é que um novo decreto seja publicado pela prefeitura permitindo a flexibilização já na próxima semana. No entanto, até o dia 11 de março, continua valendo o decreto nº 088/2021, que determina o fechamento dos estabelecimentos às 18h. 

Em nota, a prefeitura de Prefeitura de São Gonçalo informou que os secretários Douglas Ruas e Márcio Picanço atenderam os empresários dos ramos alimentício, bares e shows, onde ouviram os questionamentos de cada um, esclarecendo as informações divulgadas no decreto municipal.

"Uma reunião foi agendada para a próxima segunda-feira (8), às 8h, no auditório da Secretaria da Saúde, no shopping São Gonçalo, com a finalidade de alinhar e construir os próximos passos juntamente com os empresários do ramo", concluiu a nota.

Matérias Relacionadas