Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,1230 Euro down 5,2562
Search

Após recorde de mortes por Covid, Bolsonaro fala que “povo não consegue mais ficar em casa”

Declaração foi nesta sexta-feira (26)

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 26 de fevereiro de 2021 - 17:12
Evento foi na cidade de Tianguá, no Ceará
Evento foi na cidade de Tianguá, no Ceará -

O presidente Jair Bolsonaro marcou presença em evento no Ceará, onde, sem máscara, aglomerou com apoiadores e afirmou que o “povo não consegue mais ficar dentro de casa”. Isso aconteceu um dia depois de o Brasil chegar à marca de 1.582 mortes pelo Coronavírus em um dia. Esse foi o pior índice desde o começo da pandemia no país.

De acordo com os dados do consórcio formado pelo Extra, O Globo, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, o Brasil perdeu 251.661 vidas por conta da Covid-19 e 10.393.886 pessoas contraíram o vírus. Os estudiosos alertaram para a chance de colapso na saúde do país, tendo em vista diversos estados contabilizando inúmeros casos e ocupação máxima dos leitos reservados para Covid-19.

"A satisfação de estar no meio de vocês não tem preço. Aos políticos que me criticam, sugiro que façam o que eu faço. Tenho um prazer muito grande de estar no meio de vocês. Dizer a esses políticos do Executivo, o que eu mais ouvi por aqui é: "presidente, eu quero trabalhar". O povo não consegue mais ficar dentro de casa. O povo quer trabalhar. Esses que fecham tudo e destroem empregos estão na contramão daquilo que seu povo quer. Não me critiquem, vá para o meio do povo, mesmo depois das eleições. Porque durante as eleições é muito fácil, eu quero ver é depois", declarou Bolsonaro, durante sua fala na cerimônia no Ceará.

Na última quinta-feira (25), Camilo Santana (PT), governador do Ceará, expôs em suas redes sociais a insatisfação com a presença do presidente no estado e confirmou que não estaria no local, tendo em vista a grande possibilidade de aglomerações. De acordo com ele, esse comportamento é algo "frontalmente contrário à gravíssima crise sanitária que vivemos neste momento, com o aumento preocupante de casos e óbitos". "Tenho todo respeito à autoridade, mas não posso compactuar com aquilo que considero um grave equívoco", comentou.

Em oposição ao atual Governador, durante o evento, a população pediu a saída de Camilo Santana gritando em vários momentos ‘fora, Camilo’.

Também em seu discurso, Bolsonaro se mostrou feliz no Nordeste e que se sente apoiado por ‘um povo tão sincero, leal e patriota.’ O presidente ainda reforçou que governa o país com orgulho, mesmo com todos os ataques que recebe diariamente. Além disso, prometeu transformar o Brasil em um país melhor em relação ao que ele pegou dois anos atrás, mesmo com a pandemia que atingiu o país e o mundo.

“Ataques acontecem praticamente 24 horas por dia. Mas entre estes que me atacam e vocês, vocês estão muito na frente. Não me vão fazer desistir, porque afinal de contas eu sou imbrochável. Tenho certeza que quando deixar meu governo, entregarei um Brasil, apesar da pandemia, muito, mas muito melhor do que aquele que recebi em janeiro de 2019 “completou.

Matérias Relacionadas