Funcionários do Detran-RJ mantém greve e posto em São Gonçalo tem serviços reduzidos

Apenas 30% dos servidores seguem trabalhando

Escrito por Ana Carolina Moraes 23/02/2021 14:32, atualizado em 23/02/2021 11:20
. Foto: Filipe Aguiar

Os servidores públicos do Detran Rio continuam em greve nesta terça-feira (23). Com isso, o posto do departamento localizado em Neves, bairro de São Gonçalo, está com seus serviços reduzidos. A decisão de manter o ato foi tomada numa assembleia que ocorreu nessa segunda-feira (22). Os servidores lutam por melhores condições de trabalho desde o dia 13 deste mês. 

A equipe de reportagem de O SÃO GONÇALO foi informada de que apenas 30% dos servidores estão trabalhando no local. “Basicamente, o que está funcionando são os serviços de habilitação e registro de veículos”, contou um funcionário do local que preferiu não se identificar. 

Os servidores do Detran desejam melhores condições de trabalho. Segundo eles, as diretorias são trocadas constantemente, as unidades do Detran tem pouca infraestrutura e poucos investimentos. 

Cerca de 84% dos servidores aprovaram a continuação da greve, segundo um levantamento do Sindicato dos Funcionários do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Sindetran). 

Além da falta de serviços nos postos, a greve inclui atos de manifestação. O último ato ocorreu na na Avenida Presidente Vargas, Centro do Rio, próxima à sede do departamento. 

Os serviços disponíveis no Detran durante a greve são: 

* Identificação civil

* Emissão de 1ª e 2ª via

* Retirada de identidade

* Renovação de identidade

* Carteira de identidade social

* Comunicação de extravio, roubo ou furto

* Certidão de identificação civil

* Habilitação

* Retirada de habilitação

* Renovação de carteira

* Segunda via da carteira

* Adição e mudança de categoria

* Alteração de dados

* Curso de reciclagem

* Permissão internacional para dirigir

* Carteira para atividade remunerada

* Renovação para pessoas com deficiência

* Troca de permissão para habilitação

* Registro de Veículos

* Alteração de característica

* Comunicação de venda

* Devolução de taxa

* Gravação e troca de motor

* Licenciamento anual

* Primeira licença de veículo importado

* Primeira licença de veículo nacional

* Segunda via do CRV ou CRLV

* Transformação de combustível

* Troca de município

* Troca de placas (padrão Mercosul)

Em resposta à reportagem, o Detran soltou uma nota. Confira abaixo na íntegra.

"O Detran.RJ informa que vai submeter a greve dos servidores à Justiça, diante da decisão do sindicato de encerrar unilateralmente o diálogo e manter a paralisação, mesmo após todas as reuniões de negociação dos últimos dias.

A greve afeta diretamente a população do estado, na medida em que o sindicato não mantém 30% dos trabalhadores em suas funções, o que evitaria a completa paralisação dos serviços. Na maior parte dos postos, não há servidores concursados exercendo suas funções.

A greve foi decretada sem que tivessem sido esgotadas todas as possibilidades de negociação. Em nenhum momento a direção do Detran.RJ deixou de receber o Sindicato de Servidores do Detran (Sindetran-RJ) para, mesmo com o Estado no regime de recuperação fiscal, debater a pauta de reivindicações: reposição salarial pela inflação, progressão funcional e revisão da tabela de vencimentos, com a efetivação do novo Plano de Cargos e Salários.

Em meio à pandemia de Covid-19, que provocou enorme demanda reprimida com fechamento de unidades do Detran, o movimento afeta os serviços e causa ainda mais impacto na população.

Na Diretoria de Registro de Veículos, por exemplo, todos os serviços que envolvem licenciadores estão parados. Até a manhã desta terça-feira, 7.400 agendamentos efetuados acabaram não sendo atendidos por causa da greve. Dos 297 licenciadores, apenas dois estão trabalhando. Com isso, o Detran teve que interromper o agendamento para os serviços de transferência de propriedade de veículos (maior gargalo com a pandemia), emplacamento, transferência de município, entre outros.

Na Diretoria de Habilitação, os 50 postos que oferecem provas teóricas estão fechados. A greve afeta diariamente 1.200 pessoas que tinham exames marcados. As provas práticas também foram suspensas por falta de examinadores. Até o momento, 7.000 candidatos foram prejudicados pela greve. Dos 350 examinadores, até a manhã desta terça, não havia nenhum trabalhando.

As unidades SATS e Ciretrans estão abertas, porém, funcionando apenas com 20% da capacidade dos atendimentos.

No último dia 12, um dia antes do início da paralisação, as duas partes se reuniram por mais de quatro horas.

Durante a greve, houve mais duas reuniões. Em todas, foram discutidos os três temas da pauta do sindicato. Foi, inclusive, estabelecido um cronograma com previsão de adoção das medidas necessárias para atender as reivindicações."

. Foto por Filipe Aguiar
. Foto por Filipe Aguiar

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas