Jovem de 17 anos vende doces para realizar sonho de cursar faculdade de medicina

Ana Luíza e toda a família estão empenhados em conseguir o dinheiro para as mensalidades

Escrito por Ana Carolina Moraes* 02/02/2021 08:18, atualizado em 02/02/2021 09:35
A jovem começou a fazer e vender docinhos para a causa em dezembro de 2020
A jovem começou a fazer e vender docinhos para a causa em dezembro de 2020 . Foto: Arquivo Pessoal

Sonhar é uma das coisas que movem a mente do ser humano. Melhor do que sonhar, no entanto, é importante tentar conquistar seus objetivos. Mas, e quando o seu objetivo está próximo, mas pode ser impedido pela falta de dinheiro? Esse é o principal medo de Ana Luíza Mendonça, uma jovem de 17 anos, que conseguiu passar no vestibular de medicina, mas não tem condições para pagar a faculdade. Ela também não conseguiu a ajuda do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES).

A jovem, no entanto, deu a 'volta por cima' e não desanimou. Como opção, Ana Luíza vende doces caseiros para conseguir o dinheiro para custear seu ensino superior. Com exclusividade, ela contou a O SÃO GONÇALO sobre como sempre batalhou em sua vida. 

A família de Ana Luíza é natural de São Fidélis, mas, ela possui parentes também em São Gonçalo. Todos estão completamente focados em conquistar o sonho da jovem de 17 anos, que sonha em ser médica e ajudar o próximo.

"Desde novinha, eu queria fazer medicina, mas eu sabia que passar para uma federal era muito difícil e pagar uma particular seria muito caro. Então, eu desisti, fui fazer outros cursos, mas, em agosto de 2020, pesquisei faculdades de medicina na cidade em que eu morava (Campos dos Goytacazes) e vi que as notas de cortes eram próximas das que eu tirei no Enem de 2019 e que eu conseguiria o FIES. Vi então que esse sonho não era impossível para mim e juntei o pessoal lá de casa para comunicar a decisão", contou.

Ana Luíza fez, então, seu primeiro vestibular para a faculdade e, em dezembro de 2020, descobriu que havia passado com louvor. A partir daí, começou mais uma etapa na luta da jovem para conseguir realizar seu sonho.

"Desde novinha eu aprendi a fazer doces caseiros, como brigadeiros e beijinhos, com a minha avó. Quando eu tinha uns 13, 14 anos, eu vendia alguns deles no colégio para conseguir comprar o meu primeiro celular. Então, vendo o caso de um outro menino de Campos que passou em medicina, mas não conseguia pagar e resolveu vender docinhos, eu resolvi juntar o meu conhecimento em docinhos com a ideia de vender para conseguir dinheiro", contou ela. 

A família da jovem está unida e empenhada na causa
A família da jovem está unida e empenhada na causa | Foto: Arquivo Pessoal
 

A jovem desenvolveu três formas de arrecadar o valor: através de uma rifa online, na qual a pessoa ganha um bolo de 15 fatias e docinhos como prêmio; por uma vaquinha online e pela venda dos doces. 

Durante o Enem 2020 (que ocorreu em 2021 por causa da pandemia), a jovem ficou em frente a um dos maiores locais de prova de Campos para conseguir vender seus doces.

"Mesmo indo fazer a prova, fiquei lá na frente de uma faculdade da região vendendo os doces no dia do Enem 2020. Também vendo na rua, pela Pelinca, uma rua movimentada da região. Mas, hoje, eu e minha família nos mudamos de volta para São Fidélis para deixar de viver de aluguel, já que lá temos uma outra casa própria. Tudo para juntar dinheiro. Vou continuar vendendo por lá e por Itaperuna, onde é a faculdade para a qual eu passei", contou a jovem. 

A jovem vende docinhos para custear a faculdade
A jovem vende docinhos para custear a faculdade | Foto: Arquivo Pessoal
 

Ana Luíza precisa juntar o valor para custear uma mensalidade de R$ 9.764 até o mês de julho/agosto, que é quando tentará o FIES do meio do ano, podendo usar a nota do Enem 2020. Ou seja, a jovem precisa de cerca de R$78 mil. Ela, até o momento, tentou o FIES do início do ano, mas não pode usar sua nota do Enem 2019, pois, na época, ainda estava no segundo ano do ensino médio e, como o resultado do Enem 2020 ainda não saiu, ela precisa aguardar. Ana Luíza já arrecadou cerca de R$ 3 mil.

Na última segunda-feira (01), ela foi à sua primeira aula na universidade de medicina e compartilhou o sentimento de poder realizar seu sonho. "Minha faculdade é em Itaperuna e estou morando com uma amiga no apartamento dela. Não tenho computador e, apesar das aulas serem online, estou tendo que ir até a faculdade para usar o computador de lá e assistir as aulas e fazer trabalhos. Então, hoje foi o meu primeiro dia e é uma sensação extremamente prazerosa. Eu vi que estou aqui, que entrei na faculdade e é um passo muito perto do meu sonho, mas ainda não posso comemorar, pois não saberemos como continuará a situação. Mas, eu vou fazer de tudo para conseguir realizar esse sonho", relatou, emocionada. 

Este foi o dia em que Ana e sua família fizeram a matrícula na universidade de medicina
Este foi o dia em que Ana e sua família fizeram a matrícula na universidade de medicina | Foto: Arquivo Pessoal
 

Para quem quiser ajudar Ana, basta participar da rifa da jovem (que será sorteada no dia 10 de fevereiro). Os interessados deverão comprar a rifa (que custa R$ 10,00 cada) e enviar o comprovante para Ana através de suas contas abaixo:

PIX: 17038352717

Bradesco-

Conta: 18060-2

Agência: 2850

Itaú-

Conta: 59406-9

Agência: 1628

CPF: 170.383.527-17 

Nome: Ana Carolina Silva Peçanha 

Cartaz da Rifa feita pela jovem
Cartaz da Rifa feita pela jovem | Foto: Arquivo Pessoal
 

Além disso, também é possível ajudar comprando os doces da jovem pelas ruas e doando para a vaquinha online dela. Seguem os links: vaquinha 1 e vaquinha 2.

Para quem quiser saber mais, basta falar com Ana Luíza pelo Whatsapp, através do número (022) 99607-0643. 

*Estagiária sob supervisão de Cyntia Fonseca

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas