A lenda da Vitória-Régia

Entre as aquáticas, planta é a maior do mundo

Enviado Direto da Redação
Entre as plantas aquáticas, a vitória-régia é a maior do mundo

Entre as plantas aquáticas, a vitória-régia é a maior do mundo

Foto: Divulgação

Por Rogério Travassos

Vitória-régia é uma planta exclusivamente aquática. Trata-se da maior planta aquática do mundo, produzindo a maior flor das Américas. Suas folhas flutuantes possuem canais de escoamento, possuindo duas fendas laterais, que liberam a água da chuva para o lago. Possuí um reservatório energético rico em amido, sais minerais e ferro, que pode ser utilizado como alimento.

Seu fruto amadurece em torno de seis semanas e as sementes produzidas flutuam em época de vazante, fixam-se ao solo, o que faz germinar nova planta. A folha da vitória-régia quando jovem tem a semelhança de um coração. Muitos a conhecem por um nome popular, jaçanã, e pode ser encontrada no Brasil e Guiana.
 

Em nosso país é uma planta típica da região norte, na bacia do rio Amazonas. Esta planta popular da região, possuí uma lenda. A chamada “LENDA DA VITÓRIA-RÉGIA”. Trata-se de uma estória brasileira contada por tribos indígenas, difundida pela literatura nacional. É de origem tupi-guarani, mas conhecida em diversos outros países.

Tudo começa com a lenda da Lua ou Jaci, como era chamada, vir à terra toda as noites beijar os rostos das mais belas virgens das aldeias. Sempre que uma mulher era beijada por Jaci se tornava uma bela estrela.

Havia uma jovem guerreira, Naiá, que tinha o sonho de ser beijada por Jaci. Os membros de sua tribo a alertavam que depois do beijo ela se tornaria estrela e não mais teria corpo ou sangue em suas veias. Mas era o sonho de Naiá. Ela queria ser levada pela Lua e para isso, todos os dias ficava andando nas matas em busca da deusa.

Certa noite, Naiá teve seu lindo encontro. Sentada em frente a um lago observou o reflexo da Lua, era a sua deusa tão esperada e sem pensar e pestanejar, mergulhou nas águas escuras, morrendo afogada. Jaci, também uma deusa, com piedade, ficou com tanta pena da moça que resolveu dar-lhe um presente especial: transformá-la em uma flor para que ela realizasse seu sonho de ser uma estrela das águas.

As lendas, folclores ou “estórias”, inserem-se no contexto do chamado meio ambiente cultural. Nosso país, de extensão territorial imensa, tem perdido, já a alguns anos, a noção do valor da cultura regional e nacional. O meio ambiente é formador de cultura, suas lendas, estórias e “causos” não podem deixar de existir de serem contados, sob pena de termos inclusos em nossa nação, ideologias e culturas que não são nossas, de origem importadas.

“VITÓRIA-RÉGIA, A PLANTA COM AS FLORES PERFUMADAS, À NOITE, ABREM, SÃO BRANCAS, PELA MANHÃ SÃO ROSADAS”.  (parte final de poesia elaborada com base na lenda da Vitória-Régia, lenda indígena de origem tupi-guarani - folclore brasileiro -Maria do Socorro Domingos dos Santos Silva João Pessoa, 19/05/2012). – Preserve o meio ambiente

Veja também