Robinho volta a se comparar a Bolsonaro e afirma ter recebido apoio de Neymar

Atacante condenado por estupro deu entrevista à Fox Sports

Enviado Direto da Redação
Robinho foi condenado por estupro na Itália

Robinho foi condenado por estupro na Itália

Foto: Ivan Storti/Santos FC

O atacante Robinho teve mais uma oportunidade de se defender em uma entrevista dada a Benjamin Back, do canal Fox Sports. Condenado por estupro em primeira instância na Itália, o atleta foi o centro das atenções ao longo da semana depois de ter acertado com o Santos, acordo que seria suspenso após a repercussão negativa. O jogador que disse ter feito sexo consensual com a mulher que lhe acusa de estupro, se comparou ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e revelou ter conversado com Neymar sobre a situação.


 "A imprensa colocou coisas deturpadas a meu respeito. Só que ninguém colocou que a menina pediu, no processo, R$ 3 milhões. Isso ninguém colocou", apontou.


"É muito difícil ela estar embriagada para não ter o ato, mas lembrar de todo mundo. Então, está meio fora de contexto essas histórias. Eu jamais dei um copo de bebida para essa garota, deixei de respeitar ou fiz alguma coisa sem o consentimento dela. Isso vocês podem ter certeza", afirmou Robinho.



Robinho ainda declarou que a acusação é falsa e sem provas. Vale ressaltar que o portal do Globoesporte.com obteve acesso a documentos da justiça italiana em que o jogador admite ter feito sexo oral com a mulher desacordada, em estado de embriaguez, ao dialogar com amigos por aplicativos de mensagens.


Perguntado sobre isso, Robinho apenas disse que sexo oral é normal quando as pessoas se relacionam e que não foi feito sem o consentimento da mulher. Na sequência, classificou as pessoas que o criticam de  hipócritas, alegando que elas 'vão aonde não deveriam ir', bebem e usam drogas.


O jogador voltou a dizer que seu maior erro foi ter desrespeitado a esposa, que havia ido com ele à casa noturna onde aconteceu o ato sexual, mas que tinha ido embora mais cedo. De acordo com Robinho, o processo foi um ponto de virada no casamento, e com isso, ele se converteu ao cristianismo e disse ter passado a respeitar mais a companheira.


Em outra parte da entrevista, Robinho criticou a imprensa brasileira e se comparou ao presidente da República. O jogador afirmou que Bolsonaro também é injustamente acusado de várias coisas, como ser fascista, racista e homofóbico. "As pessoas estão me julgando e me atacando igual fazem com o Bolsonaro. Eu não entendo porque estão me atacando assim", criticou.


Ao falar sobre Neymar, Robinho disse ter conversado com o atacante do PSG, com quem jogou junto no Santos em 2010 e recebido seu apoio. "Me mandou mensagem. Não é um fato difícil de acontecer. Aconteceu com Neymar. Me deu apoio, se disponibilizou a me ajudar com as pessoas que ajudaram na inocência dele", disse Robinho, em referência ao caso Nájila Trindade, no qual Neymar sofreu acusação semelhante. Contudo, o processo não seguiu em frente por falta de provas.


Robinho garantiu que a suspensão do contrato com o Santos foi iniciativa dele para não prejudicar a imagem do clube. Por fim, ainda afirmou que aguarda ser inocentado para em breve voltar aos campos. Ele pediu que as mulheres esperem "algo definitivo" antes de condená-lo.

Veja também