Bolsonaro fala sobre retorno do futebol carioca: "os jogadores querem"

Bolsonaro se reuniu com dirigentes do Vasco e do Flamengo

Enviado Direto da Redação
Bolsonaro falou sobre o tema em uma live

Bolsonaro falou sobre o tema em uma live

Foto: Reprodução/Facebook

A questão da paralisação dos treinos do futebol carioca está dando o que falar entre os políticos. Isso porque o presidente Jair Bolsonaro fez um apelo em sua live na última quinta-feira (21) para que Marcelo Crivella, o prefeito do Rio, permitisse que o futebol carioca retornasse. Bolsonaro, que se reuniu com Crivella na última quinta-feira (21), afirmou que o assunto foi pauta dos dois no encontro. Além disso, o presidente também almoçou com representantes do Vasco e do Flamengo na última terça-feira (19).


"Estive com o Crivella hoje conversando sobre a volta do futebol. No primeiro momento, muitos jogadores eram contra, e agora é um outro entendimento. Obviamente, sem torcida. Está nas mãos do Marcelo Crivella", disse Bolsonaro na transmissão ao vivo.


Vale lembrar que o Flamengo retornou aos treinos em campo na última terça-feira (19), mesmo que Crivella tivesse informado que isso não seria permitido. Os clubes Vasco e Flamengo desejam que os treinos nos campos retornem, já Fluminense e Botafogo não. No almoço com Bolsonaro, representantes do Cruzmaltino e do Rubro-Negro, inclusive, teriam pedido ao presidente para voltarem a treinar no Mané Garrincha, após Crivella avisar que os treinos não eram autorizados.


Bolsonaro ainda disse na live que os jogadores querem voltar a treinar. "Os jogadores querem. O que interessa é isso: os jogadores querem voltar a jogar. E afinal de contas, não sabe até quando vai esta pandemia e todo mundo pede por isso aí. Espero que o Marcelo Crivella resolva autorizar a volta do campeonato Carioca. Espero que o mesmo aconteça nos demais estados", disse ele.


Bolsonaro também disse que o Ministério da Saúde deve emitir uma nota permitindo que os treinos dos times retornem.


"No que depender do Ministério da Saúde, é favorável a dar um parecer nesse sentido, para que a gente possa assistir um futebolzinho no sábado, no domingo. Até ajuda a deixar o povo em casa, menos estressado", justificou ele.


Quem também falou sobre o tema foi o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel. Na última quinta-feira (21), ele afirmou que não é contra o retorno dos treinos de futebol dos clubes cariocas, mas disse que a decisão sobre essa situação é responsabilidades dos dirigentes dos clubes.


"Quero esclarecer que não sou contra os treinos acontecerem. O que eu disse que sou contra é que aconteçam sem preocupação por parte dos dirigentes para preservar o atleta, que fica exposto. A responsabilidade é dos dirigentes e não do estado, ao assumir essa responsabilidade", afirmou para o canal CNN Brasil.


No entanto, ele afirmou que, mesmo assim, os clubes devem sempre priorizar a saúde de seus jogadores.


"Os atletas têm que estar de certa forma protegidos porque é a carreira deles. É uma decisão exclusivamente por parte das entidades associativas. Nunca fui contra a retomada. Só não vai poder ter plateia e torcida. Nós ainda não podemos ter esse tipo de aglomeração. O que precisa é ter esses cuidados", contou.


Vale lembrar que a cidade é a que mais registra casos de infectados pelo coronavírus no estado do Rio de Janeiro. Na última quinta-feira (21), foram registrados 175 novas mortes e  1.717 casos confirmados da doença nas últimas 24 horas, o que faz com que o número de mortos totais da doença na cidade seja de 3.412 mortes e o número de casos no local chegue a 32.089, segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde.

Veja também