Técnico de SG que dirige clube mexicano vem ao Brasil para tirar a licença da CBF

Antes de ir ao México, ele estava treinando um clube no futebol boliviano

Enviado Direto da Redação


Por Rennan Rebello


Em busca de um lugar ao sol no competitivo mundo do futebol, o técnico gonçalense Samarone Oliveira, 33, resolveu investir no curso na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para obter a 'Licença A' que lhe permite dirigir clubes profissionais. Esta licença também foi uma exigência da Federação de Futebol Mexicana, que solicitou esta permissão para que o treinador de São Gonçalo pudesse ser registrado oficialmente como o comandante do Crocodrilos de Lázaro Cárdenas, que disputa jogos na terceira divisão profissional do futebol mexicano.


Devido a esta exigência, ele está participando desde o último dia 6, de um curso intenso na Granja Comary, em Teresópolis, na Região Serrana do Rio, que terminará no próximo domingo (16).


"No final de setembro do ano passado, fui convidado pelo Eleazer Molina, presidente do clube Cocodrilos para ser o diretor desportivo do clube, tanto do profissional como das categorias de base. Aceitei o convite e em outubro me apresentei ao clube. Pouco mais de um mês depois o presidente me propôs assumir a equipe como treinador, e assim foi. Porém na hora de me registrar na Federação Mexicana, a mesma não aceitou e exigiu um titulo da CBF. E nesses quatro meses a frente da equipe, só pude comandar a equipe a beira do gramado nos jogos amistosos. Já que em dia de jogo oficial, o time é dirigido a gramado pelo atual diretor desportivo do Cocodrilos, o Sergio Ceballos", explicou Samarone a O SÃO GONÇALO, diretamente da Granja Comary, que é a base da Seleção Brasileira de futebol. 


Antes de ir se aventurar na terra de Chespirito, Samarone passou pelo Grupo Desportivo de Selho, de Guimarães, em Portugal, que disputava um campeonato distrital em Braga (na categoria semi-amadora) e pela falta de estrutura local e pouco apelo desta liga lusitana, ele teve que trabalhar em um armazém de pneus, em Póvoa de Lanhoso, vila do distrito de Braga, conforme foi registrado por OSG, em janeiro de 2019. Apesar da experiência negativa, o técnico não desistiu de seus objetivos e foi treinar uma equipe na Bolívia.


"Depois que voltei de Portugal, fui à Bolívia, onde treinei o Club Leandro N. Alem onde fiquei por sete meses. Na temporada 2019, juntando as partidas com o Leandro Alem e o Cocodrilos, foram 25 jogos com apenas três derrotas. A minha ida ao México aconteceu da seguinte maneira, o presidente do clube viu a minha página no Facebook e entrou em contato comigo no dia que eu estava viajando com minha família, em Natal, no Rio Grande do Norte", disse o treinador que se chama Samarone, devido ao ex-jogador de Flamengo e Fluminense, e assim como seu 'xará', ele projeta uma carreira em algum clube da Série A.

Veja também