Escolinha de futebol de São Gonçalo recebe jogadores japoneses para amistoso

A partida aconteceu na sede do Guerreirinhos, no Arsenal

Escrito por Redação 23/07/2019 11:57, atualizado em 23/07/2019 11:45
O amistoso foi disputado na sede do Guerreirinhos, no Arsenal
O amistoso foi disputado na sede do Guerreirinhos, no Arsenal . Foto: Divulgação

A escolinha de futebol Guerreirinhos, núcleo oficial do Fluminense recebeu o Abelhas Chibbas, do Japão, para um amistoso das categorias sub-13 e 14, em sua sede no Arsenal, a fim de promover uma integração socioesportiva e um intercâmbio de conhecimento entre os pequenos atletas brasileiros e japoneses.

“Foi uma experiência fantástica! Os meninos da minha escolinha ficaram encantado com a disciplina comportamental dos japoneses. Com a forma que eles ficavam atentos ao professor. Eles (time do Abelhas) chegaram com lanches na mão e logo após todos limparam todo o ambiente. Durante o jogo apesar de falarem idiomas diferentes, houve comunicação e socialização.”, disse o coordenador do núcleo gonçalense, Josmiro de Goes, que também é auxiliar de preparador de goleiros dos profissionais do Fluminense, tendo também passado pela preparador dos arqueiros da categoria sub-15 do Tricolor das Laranjeiras, como já foi publicado na edição de O SÃO GONÇALO em dezembro do ano passado.

A realização da experiência entre as escolas de futebol japonesa e brasileira surgiu por meio de um contato do Josmiro com um amigo de ‘velha data’ que trabalha como treinador auxiliar na equipe dos pequeninos do extremo Oriente.

“Conheço o Pedro Carlos há muito tempo desde quando ele levava o Abelhas Chibbas para fazer amistoso lá no Fluminense (na base) e como ele é daqui de Maricá, resolvi propor esse jogo. Como ele é meu amigo de muitos anos e sempre nos encontramos quando ele estar por aqui, ele topou o convite e achou que seria uma oportunidade interessante”, explicou Josmiro.

O professor Marcos Maiato, responsável pelo projeto socioesportivo Meninos da Vila do Colubandê, também esteve presente no evento e destacou o clima amistoso entre a gurizada dentro das quatro linhas.

“Os jovens são bastante educados sempre preocupado em ter tratar bem. Mesmo não sabendo a nossa língua, os jovens brasileiros faziam o possível para que eles pudessem entender a sua mensagem de carinho”, relatou Maiato.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas