Projeto 'Evolução' oferece aula gratuita de capoeira para gonçalenses

Capoeirista procura parcerias para dar as aulas

Enviado Direto da Redação
 Além de ser o idealizador da iniciativa, Phyllip, trabalha como bombeiro civil e segurança

Além de ser o idealizador da iniciativa, Phyllip, trabalha como bombeiro civil e segurança

Foto: Leonardo Ferraz

Por Rafaela Batista


“No meio da dificuldade, encontra-se a oportunidade”, é isso que o professor de capoeira, Phyllip Braga Lamarão, de 41 anos, fez quando decidiu montar o seu ‘Projeto Evolução’, no qual oferece aulas de capoeira gratuitas para as crianças e jovens da comunidade Covanca, em São Gonçalo.


Em meio aos seus dois empregos, como bombeiro civil e chefe da brigada de incêndio do Condomínio Parque das Águas, em Alcântara, e segurança da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), na Trindade, Phyllip, ainda tirou um tempo para conseguir desenvolver o seu projeto socioesportivo que começou no inicio do mês passado, com o objetivo de ocupar a mente de crianças gonçalenses através do ensino da capoeira que é uma arte marcial brasileira criada por africanos que foram escravizados no Brasil.


“Hoje em dia, nós vivemos em uma sociedade um tanto quanto complicada, e tenho observado que algumas crianças ao sair das escolas, e retornarem as suas casas elas não tem nada para ocupar o tempo. Sendo assim, eu resolvi aproveitar o pequeno e improvisado espaço da minha casa, para ocupar o tempo destas crianças com algo que pudesse não só trabalhar o corpo, mas a mente também”, contou o Phyllip.


De acordo com o gonçalense, que é mestre da capoeira há 14 anos, ele conta que está procurando parcerias com escolas para conseguirem usar o espaço para ministrar as suas aulas, porque até o momento possui cerca de 10 a 15 alunos e que aos poucos, mais crianças vão surgindo e vai ser necessário um lugar maior para os treinamentos.


Além da parceria por um novo espaço, o professor conta que está precisando de doações, pois como está sozinho nesse projeto, ele precisa custear todas as despesas que esta iniciativa exige.


“Como se trata de um trabalho gratuito, onde eu não cobro nada pelas aulas de capoeira. Nós precisamos de uniformes para as crianças, pois na sua maioria são carentes, e precisamos também dos instrumentos que compõem a bateria que são: 3 berimbaus,1 atabaque e 2 pandeiros”, revelou o capoeirista.


Quem tiver interesse em ajudar no ‘Projeto Evolução’, pode entrar em contato com Phyllip através do número (21) 97507- 3386 ou pelo e-mail bpcbraga2017@gmail.com.


Já para fazer parte do ‘Projeto Evolução’, é necessário ter no mínimo sete anos e está matriculada em alguma rede de ensino.


*Estagiária sob supervisão de Rennan Rebello

Veja também