Gonçalense disputa a Copa SP pelo São Caetano

Daniel Patrick tinha desistido do futebol aos 18 anos

Enviado Direto da Redação

Por Rennan Rebello

Apesar de ainda ser jovem, o goleiro gonçalense Daniel Patrick, de apenas 19 anos, que foi criado no bairro Santa Catarina, está tendo sua segunda chance na carreira. E está ‘agarrando’ com unhas e dentes, defendendo o São Caetano, na Copa São Paulo de Futebol Júnior, que é o torneio sub-20 de maior repercussão no Brasil.

“Eu parei assim que fiz 18 anos por desilusão no futebol e comecei a fazer coisas que não fazia antes como beber e ir para balada, mas felizmente, no mesmo ano, entrei em um projeto na comunidade da Batista, em meu bairro bairro, chamado ‘Conexão Brasil’ que é do meu pai, Alex, e de um amigo nosso, o Fábio. E ao ver a força de vontade dos jovens, aquilo me motivou a voltar aos gramados. Antes de ser contratado pelo São Caetano, estive no São Bernardo”, revelou o arqueiro, que tem contratado com o Azulão até 2020.

Fora de campo, Daniel, está curtindo a vida que leva, de forma tranquila, na cidade que leva o nome do clube do qual defende, situado no ABC Paulista, onde passa parte do tendo assistindo a lances de dois jogadores de sua posição para que um dia possa ser lembrado como um ‘gigante’ do futebol, não apenas por sua altura (1,95).

“Tenho dois goleiros que me espelho e sempre assisto seus vídeos para me inspirar. Um deles é o Júlio César, que parou de jogar recentemente (pelo Flamengo) e o outro é o Ederson, que atua no Manchester City, (da Inglaterra)”, finalizou Daniel que hoje, às 16h, estará em campo, pela segunda fase da Copinha contra o Flamengo de Guarulhos, na casa do adversário.

Veja também