Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4907
Search

Gonçalense se torna árbitro para complementar renda

Auxiliar administrativo começou a apitar por indicação de um amigo

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de março de 2018 - 12:23
>> Ramon (D) apitou a final do Fut7 em 2017 entre Tabajara e Toque e Sai na Arena Tuiuti, em S.Cristóvão
>> Ramon (D) apitou a final do Fut7 em 2017 entre Tabajara e Toque e Sai na Arena Tuiuti, em S.Cristóvão -

Por Rennan Rebello

A cultura do futebol no Brasil é algo muito forte que faz jovens de norte a sul sonharem em ser jogadores de futebol. O auxiliar administrativo Ramon Miranda, de 25 anos, seguiu a “contramão” do fluxo e optou pela arbitragem como uma maneira de ter uma renda através do esporte mais popular do mundo.

“Sempre fui apaixonado por futebol e, como nunca fui bom de bola, apareceu a oportunidade de ser árbitro por influência de um amigo. Vi nesta chance uma maneira de estar no meio e, ao mesmo tempo, ganhar uma renda extra. Mas posso dizer que gosto muito de ser árbitro, apesar de uns e outros palavrões que a gente escuta. Minha mãe fica até com ‘orelha quente’”, explicou Ramon de forma irreverente. Apesar de jovem, Ramon prioriza o lado financeiro, pois tem uma família para ajudar a sustentar, ao lado de sua esposa, a vendedora Laila Gabriel, 21, com a qual é casado há dois anos. O casal tem a pequena Ana Lara, de 2 anos.

Quando atua como árbitro, Ramon consegue uma média de R$50 por jogo. “Grande parte de meu faturamento mensal vem quando estou apitando. Ganho uma média de R$ 50 por jogo e, em um final de semana, chego a apitar oito jogos”, revelou.

Para apitar nos campos society e entrar no quadro da federação que rege a modalidade, ele se formou em 2017 no curso na Escola de Arbitragem de Futebol de 7, que tem duração de quatro meses e é realizado na quadra do Acadêmicos do Salgueiro, no Andaraí, Zona Norte do Rio. Um dos objetivos que almeja para a recente carreira é arbitrar em futebol de campo mas antes ainda almeja concluir mais dois cursos de qualificação na área.

“Esse ano não dará para começar o curso para árbitro de futebol de campo porque já foi iniciado. No momento, estou focado em me especializar em futsal e beach soccer (futebol de praia)”, revelou.

Matérias Relacionadas