Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar R$ 5,1515 | Euro R$ 5,5085
Search

Vini Jr é alvo de provocação racista antes de clássico Real x Atlético

Boneco preto com camisa 20 aparece pendurado pelo pescoço em ponte

relogio min de leitura | Escrito por Agência Brasil | 26 de janeiro de 2023 - 18:00
Time do craque defendeu punição dos responsáveis por ataque racista
Time do craque defendeu punição dos responsáveis por ataque racista -

O brasileiro Vinícius Júnior, atacante do Real Madrid voltou a ser alvo de ataques racistas na Espanha. Nesta quinta-feira (26), dia do clássico contra o Atlético de Madrid, pelas quartas de final da Copa do Rei, um boneco preto com a camisa 20 – número do uniforme do jogador – apareceu pendurado pelo pescoço em uma ponte da capital espanhola, junto a uma faixa com a frase “Madrid odeia o Real” estendida na mureta de proteção. As imagens do ato racista se espalharam nas redes sociais. O Real recebe o Atlético de Madrid às 17h (horário de Brasília) no Estádio Estádio Santiago Bernabéu, em Madri, para buscar uma vaga nas semifinais da Copa do Rei.

O ato racista foi condenado pelo Atlético de Madrid, cujos torcedores são apontados como suspeitos da ação.

Torcedores do Atlético de Madrid são apontados como principais suspeitos
Torcedores do Atlético de Madrid são apontados como principais suspeitos |  Foto: Reprodução
  

“Fatos assim são absolutamente repugnantes e inadmissíveis e constrangem a sociedade. A nossa condenação de qualquer ato que atente contra a dignidade de pessoas ou instituições é contundente e categórica”, diz parte da nota oficial no site do clube.

Em apoio ao brasileiro, o Real Madrid classificou o episódio como “ato desprezível” e defendeu punição aos autores do ataque.

“O Real Madrid está confiante de que expurguem todas as responsabilidades daqueles que participaram de um ato tão desprezível", afirmou o Real em comunicado no Twitter.

O presidente da LaLiga, organizadora do Campeonato Espanhol, também se manifestou no Twitter e se referiu aos autores da ação como “criminosos”, em repostagem da comunicado de repúdio da entidade.

“Uma mensagem para aqueles que se refugiam à noite para cometer crimes de ódio, vamos localizá-los, vamos obter condenações, para que acabem na cadeia, que é onde deveriam estar. Basta já!".

A entidade organizadora da Copa do Rei, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), apoiou o jogador brasileiro “diretamente ameaçado pelos radicais de forma deplorável”. Em nota oficial, a RFEF afirmou: Esse tipo de manifestação, carregada de ódio, só incentiva a violência e não tem lugar em nosso esporte.

Nascido em São Gonçalo (RJ), o atacante brasileiro, de 22 anos, vem sendo alvo de ataques desde que chegou à Espanha. No último dia de 2022, Vini Jr desabafou nas redes sociais, após ser alvo de xingamentos racistas no estádio José Zorilla, após ser substituído durante jogo contra o Valladolid, cujo placar foi de 2 a 0 para o Real.

Meses antes, em setembro, o atacante da seleção já havia sofrido com cântico racistas entoados por torcedores do Atlético de Madri no estádio Estádio Wanda Metropolitano antes de uma partida contra o Real.

Após o desabafo de Vini Jr nas redes sociais, a LaLiga apresentou acusações sobre os ataques racistas ao brasileiro na Justiça de Valladolid.

"Uma acusação criminal por crimes de ódio foi apresentada aos tribunais de magistrados de Valladolid, apoiada por evidências audiovisuais reunidas na investigação realizada por meio de imagens e clipes de áudio publicados em fontes abertas".

Matérias Relacionadas