Os 'reis do ouro': Com vitórias marcantes, baianos Isaquias Queiroz e Herbert Conceição fazem a alegria do Brasil no esporte

Canoista venceu prova do C1 1000 e se consagrou como um dos maiores medalhistas do país. Já o boxeador conseguiu nocautear no final, após estar perdendo por pontos para ucraniano

Escrito por Redação 07/08/2021 08:47, atualizado em 07/08/2021 07:21
Herbert conseguiu nocautear adversário no final
Herbert conseguiu nocautear adversário no final . Foto: Divulgação

Dois baianos deixaram a noite brasileira bem 'dourada', entre sexta-feira e esse sábado (7). Primeitroi, Isaquias Queiroz fez história no Canal Sea Forest ao faturar a medalha de ouro na prova do C1 1000 metros (m) da canoagem de velocidade na Olimpíada de Tóquio (Japão). Já herbert Conceição també fez bonito e conseguiu outra façanha, com lindo nocaute no fim da luta, após estar perdendo por pontos os dois primeiros assaltos. Foi uma autêntica 'virada' de campeão.  

Canoagem - Correndo na raia 4, Isaquias cravou a marca de 4min04s408. O chinês Hao Liu ficou com a medalha de prata com 4min05s724. O bronze foi para Serghei Tarnovschi, da República da Moldavia, com o tempo de 4min06s069. Essa é a 4ª medalha do atleta baiano na história das Olimpíadas. Nos Jogos de 2016 (Rio de Janeiro), ele já havia faturado duas pratas, no C1 1000 m e no C2 1000 m, e o bronze no C1 200 m. Agora o baiano se iguala ao líbero Serginho e ao nadador Gustavo Borges, dupla que também tem quatro medalhas olímpicas na carreira.

“Muito feliz de poder ganhar essa medalha de ouro para o Brasil. Uma emoção muito grande, me dediquei muito desde 2016 até o exato momento. A medalha no C2 não veio. Nosso objetivo era representar nosso querido treinador, Jesus Morlán, que faleceu em 2018 e conquistou 9 medalhas importantes, com essa de hoje, na nossa carreira. Muito feliz de poder realizar esse sonho”, disse o atleta baiano, ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), após a prova.

Além disso, Isaquias falou que já pensa nos Jogos de 2024 (Paris), onde espera ampliar seu número de conquistas olímpicas: “Sabíamos desde o início que essa medalha era minha, não tinha como alguém tomar de mim. Mostrei isso na semifinal e na final. Agora é ir para casa, me casar, curtir as férias e começar a pensar em Paris. Volto a repetir, não vou a Paris a passeio, vou para fazer o que fiz aqui, brigar pelas medalhas e representar bem o país”.

Boxe - Horas após a conquista de Isaquias Queiroz na canoagem, o país se emocionou com mais um campeão olímpico, dessa vez no boxe. Assim como Robson Conceição fez na Rio-2016, Hebert Conceição levou a medalha de ouro nos Jogos de Tóquio, na madrugada deste sábado (7), ao vencer com um lindo nocaute o ucraniano Oleksandr Khyzhniak na decisão da categoria peso-médio masculino (até 75kg).

E a vitória foi uma autêntica 'virada' do lutador brasileiro, já que Khyzhniak começou a luta melhor e levou os dois primeiros assaltos por decisão unanime dos juízes. Hebert é o segundo atleta brasileiro do boxe a subir no pódio nessas Olimpíadas. Antes dele, Abner Teixeira conquistou o bronze na categoria peso-pesado (até 91kg). Ainda há mais uma medalha garantida para o esporte com Bia Ferreira, que disputa o ouro neste domingo, último dia dos Jogos.

Récorde - A medalha de Hebert ajudou o Brasil a bater o recorde de medalhas em uma mesma edição de Olimpíadas.  Até o momento, foram seis medalhas de ouro, quatro de prata e oito de bronze. Ainda há mais três garantidas, no futebol masculino, no boxe, com Bia Ferreira, e no vôlei feminina. Resta apenas definir se elas serão de prata ou de ouro.

/Herbert conseguiu nocautear adversário no final
Herbert conseguiu nocautear adversário no final . Foto por Divulgação
/Essa é a quarta medalha do baiano na história das Olimpíadas
Essa é a quarta medalha do baiano na história das Olimpíadas . Foto por Divulgação

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas