Atleta niteroiense é promessa para o MMA feminino brasileiro

Com talento nato e horas de muito treinamento, a menina representa a cidade em competições

Escrito por Redação 10/06/2021 19:11, atualizado em 10/06/2021 19:59
Cecília começou a competir aos 10 anos de idade
Cecília começou a competir aos 10 anos de idade . Foto: Divulgação

A jovem niteroiense Cecília Pereira, de apenas 14 anos, já é considerada uma das grandes promessas do MMA feminino brasileiro após conquistar diversos títulos. Entre eles, três ouros em competições internacionais no ano de 2019. A menina é moradora do Morro do Bumba, no Viçoso Jardim, na Zona Norte de Niterói, e começou a competir aos 10 anos de idade. Com intensas horas de treinamento, ela se prepara para mais uma competição, com objetivo de representar a cidade.

“Ciça”, como é conhecida pelos amigos e familiares, vem se preparando agora para representar Niterói na principal competição de Jiu-Jitsu do Estado do Rio de Janeiro, o Campeonato Hélio Gracie, pela categoria Juvenil, que acontece nos próximos dias 19 e 20, no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca.

Ciça diz que tem orgulho de representar a cidade e busca melhores resultados a cada competição: “Estou muito feliz com mais essa competição, pois vou representar mais uma vez Niterói em mais uma competição de alto nível. Estou treinando pesado para trazer no peito, se Deus quiser, mais uma medalha”, diz a jovem.

Mesmo durante a pandemia, a atleta não deixou de lado os treinos, e, seguindo todos os protocolos determinados pelas autoridades científicas, manteve sua rotina. A jovem treina 5 horas por dia, todos os dias da semana no projeto social desenvolvido pela PRVT (Paraná Vale-Tudo), academia fundada por Gilliard Alfredo Fagundes, conhecido como Mestre Paraná, pioneiro do MMA feminino no Brasil. A jovem foi convidada a fazer parte do projeto por se destacar pelo seu potencial.

Apesar da pouca idade, Cecília já possui um currículo invejável. A atleta vem adquirindo muitos títulos desde as primeiras competições, quando tinha 10 anos.  Na bagagem, carrega muitas medalhas de ouro, como no Campeonato Mundial Sem Kimono de Jiu-Jitsu Olímpico, na categoria infanto-juvenil A, e no Campeonato Pan-Americano de Jiu-Jitsu, na categoria infantil, ambos em 2019. Além do Jiu-Jitsu, Ciça também luta nas modalidades de Mai Tai e BeachBoxing

A lutadora também recebeu ajuda de uma das maiores estrelas do mundo de MMA, a atleta paranaense Jéssica “Bate-Estaca”, que começou carreira em Niterói. A menina diz que Jéssica foi “fada madrinha” para sua carreira:

“Quando iniciei, foi  ela quem me  deu os equipamentos para eu conseguir treina”, conta Cecília. Além dos treinos e competições, Ciça leva a sério seus estudos, se destacando sempre com excelentes notas. Ela mora com o pai, Uires Pereira, que está desempregado desde o início da pandemia. Ele relata a luta diária que ele e sua filha precisam enfrentar para que a jovem consiga continuar treinando.

“Mesmo com várias conquistas, estamos sem patrocínio. Sabemos que o país está passando por um momento crítico, mas se tivesse alguém que pudesse, ao menos, custear as passagens para que Cecília pudesse treinar, nos ajudaria”, desabafa o pai da atleta, ao revelar que a filha precisa caminhar cerca de 6km para ir de casa ao local de treino.

Apoio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer

Para conseguir competir no Campeonato Estadual nos dias 19 e 20 de junho, Cecília contou com a colaboração da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. A iniciativa foi do próprio secretário Municipal de Esporte Lazer, Luiz Carlos Gallo.

“A Cecília é uma daquelas atletas diferenciadas. Vai muito além de seus limites, possui um potencial incrível. E é com grande satisfação que contribuo com essa ajuda, de forma a impactar o futuro dessa talentosa atleta que representa tão bem a nossa cidade. Ela é um exemplo para outros atletas trilharem seu caminho por meio do esporte”, ressalta Luiz Carlos Gallo.

Uires, pai de Cecília agradeceu todo o apoio prestado à filha.

“Já fomos em empresas, comércios e em órgãos públicos pedindo qualquer tipo de ajuda, e não tivemos sucesso. Se não fosse o secretário de Esporte (Gallo) a se disponibilizar a nos ajudar, ela não teria como participar das competições que ele já arca desde 2019.  Atletas jovens sem renda não conseguem se manter para representar Niterói, principalmente em disputas de títulos.” O pai agradeceu também citando a solidariedade do Mestre Paraná, Jéssica “Bate-Estaca” e Mestre Daniel, o atual treinador da jovem Ciça Pereira.

Cecília começou a competir aos 10 anos de idade
Cecília começou a competir aos 10 anos de idade. Foto por Divulgação
. Foto por
. Foto por
. Foto por

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas