Coronavírus: Vacinas doadas pela Conmebol podem ser confiscadas no Brasil

Doses teriam que ser incluídas no Programa Nacional de Imunizações (PNI)

Escrito por Redação 14/04/2021 20:14, atualizado em 14/04/2021 21:02
Vacinas devem ser destinadas aos clubes das primeiras divisões de cada país
Vacinas devem ser destinadas aos clubes das primeiras divisões de cada país . Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) avisou que se as doses da vacina CoronaVac recebidas pela Conmebol entrarem no Brasil, elas serão confiscadas para o SUS, e não poderão ser utilizadas pelos clubes de futebol. Na última terça-feira (13), a entidade futebolística anunciou que recebeu a doação de 50 mil doses da CoronaVac e que pretendia distribuir as vacinas para clubes e seleções do continente. 

Porém, segundo a Lei Nº14.125/2021, em caso de importação de imunizantes para o país, eles devem ser imediatamente incorporados de maneira integral no Sistema Único de Saúde (SUS) para que sejam utilizadas no Programa Nacional de Imunizações (PNI), o que impediria a vacinação dos jogadores de futebol e membros das comissões técnicas das equipes brasileiras, já que não estão enquadrados nos grupos prioritários. 

A nota da Anvisa afirma ainda que os clubes só teriam direito à vacina após a imunização dos grupos prioritários e "desde que pelo menos 50% das doses sejam, obrigatoriamente, doadas ao SUS e as demais sejam utilizadas de forma gratuita".

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas