Esposa de ex-jogador do Fla recebe ameaças de morte e é acusada de ser vascaína

Ela é chamada de 'vadia' e 'gorda'

Escrito por Redação 19/01/2021 08:51, atualizado em 19/01/2021 11:00
A empresária é esposa de Nunes
A empresária é esposa de Nunes . Foto: Divulgação

Kassandra Paz, mulher do ex-jogador Nunes, do Flamengo, vem sendo vítima de ofensas e xingamentos por parte da torcida rubro-negra que não aceita que ela seja vascaína. A empresária resolveu registrar um boletim de ocorrência da situação na Delegacia de Repressão ao Crimes de Informática (DRCI), nessa segunda-feira (18). As informações são da colunista Fábia Oliveira. 

Kassandra conta que tem recebido diversas mensagens de ameaça. "Eu resolvi procurar a Polícia porque as intimidações foram ganhando tons mais graves. Começaram com xingamentos de 'vadia' e 'gorda' e agora dizem que vão acabar comigo na 'porrada'. Estou assustada", disse ela. 

Em postagens nas redes sociais, é possível ver que um torcedor rubro-negro se mostra indignado porque Kassandra pode visitar o CT do Flamengo. O mesmo ainda fez alegações de que ela teria ganhado ingressos do Flamengo para o Maracanã. "E ai naçao, vamos permitir que essa va3caina tenha ascesso ao C.T do Flamengo e fique usando nosso manto sagrado e fingindo ser oque nao é ??? Essa aproveitadora ganhou cortesias de ingressos para levar seu irmão e seu pai va3cainos ao Maracanã pra torcer contra o Flamengo, as cortesias foram bancadas pelo Flamengo por ela ser atual mulher do Nunes idolo do Flamengo"(sic), disse um torcedor do Fla que ainda postou fotos de Kassandra com as roupas do Vasco para provocar a ira de mais torcedores do time rival. 

Kassandra também mostrou algumas das mensagens de ameaça que chegaram até ela nas redes sociais:  "Então quer dizer que, além de roubar marido das outras, você é vascaína. Um aviso: ou você sai do Flamengo por bem ou vai sair na porrada", dizia o texto de uma pessoa contra ela. 

Em seu posicionamento, Kassandra nega que seja vascaína, mas não acha justo esse ódio todo contra ela. "Eu não sou vascaína, eu fazia gorros e luvas de crochê e tirava fotos para vender as minhas mercadorias na internet. Tenho imagens com gorro do Vasco, do América e do Cruzeiro. E aí? Eu sou Vasco por isso? Não entendo esse ódio gratuito. Mas, vou querer descobrir quem está por trás dessas ameaças. Acredito que tenha outras pessoas envolvidas neste episódio. As pessoas precisam saber que não podem ameaçar e xingar por aí e vão ficar impunes. Isso é crime e eu vou até o fim", disse a empresária.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas