Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4894
Search

Livro "Cambada II" que conta histórias de bairros de São Gonçalo é lançado

Autor Erick Bernardes é referência na literatura gonçalense por seu trabalho histórico-cultural

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 21 de dezembro de 2020 - 19:33
Erick Bernardes também é autor do livro de contos 'Panapaná', lançado em  2018
Erick Bernardes também é autor do livro de contos 'Panapaná', lançado em 2018 -

Por Rennan Rebello

Em época natalina, para quem tem dúvida sobre o que comprar a um familiar ou amigo: o livro sempre é um boa pedida. Em São Gonçalo, a obra "Cambada II" do escritor Erick Bernardes, recém-lançada pela editora Apologia Brasil é uma ótima dica, já que o novo trabalho do professor de Língua Portuguesa, que é morador do Rocha, conta histórias (orais e documentadas) de bairros da cidade através de uma narrativa literária que propícia uma leitura fluida.

"O "Cambada II" tem a mesma pegada do primeiro por seguir a mesma linha de crônicas sobre os nossos bairros. Contudo, também destaca sub-bairros e outras que ficaram de fora da edição anterior. Por exemplo, escrevi sobre  lugares como Meia Noite, cuja história jamais foi escrita em livro, além de outros locais gonçalenses bastante curiosos.  E nesta edição, o leitor ainda poderá ler uma epígrafe em formato de texto em cordel escrito pelo mestre da poesia, cordelista e meu amigo: Zé Salvador; e um prefácio do Mario Lima Jr, escritor mais profícuo de São Gonçalo e cuja amizade tenho a honra de desfrutar", explicou. 

Em paralelo ao conteúdo da escrita, o formato do livro também é uma preocupação por parte de Erick que pensou em toda concepção identidade visual da série "Cambada". Por começar pelo nome que é coletivo de caranguejos e pelas cores das edições que simbolizam as espécies destes animais tão típicos dos mangues do município.  

"O livro "Cambada I" é vermelho em referência ao aratu, um caranguejo muitas das vezes de casco avermelhado, capaz de subir em árvores e atingir o topo dos galhos. Também usei como símbolo dos munícipes de cá, porque somos capazes de chegar ao topo e fugir da falácia de que quem nasce em São Gonçalo tem vergonha do seu lugar de origem, porque não é verdade. E a cor azul no "Cambada II", trata-se de uma homenagem ao caranguejos guaiamum praticamente ameaçados de extinção aqui na cidade. Eles possuem majoritariamente , quando adultos, o esqueleto externo na cor azul. Se alimentam de tudo, sobremaneira adaptáveis. Ainda há desses animais em Itaoca, mas são criados em cativeiro com fins de alimentação. E o "Cambada III" que pretendo lançar no ano que vem será branco mas com o caranguejo na capa, com uma cor escura simbolizando a espécie aratu, que  ligeiro e é apelidado de  "caranguejo marinheiro", revelou.

Tendo a formação em Letras, Erick, é um entusiasta em aprender outros idiomas. Tanto que "arranha" um pouco de alemão por conta de sua época como funcionário do laboratório B. Braun, de origem alemã, e que ainda mantém atividades na cidade, no bairro do Arsenal. E devido a convivência acabou aprendendo um pouco da língua de Goethe. A partir desta premissa e tendo como a coincidência do "Cambada" já ter edições em vermelho e azul e com uma outra a ser planejada na tonalidade branca, que abre margem para a inovação, ou seja, estas três cores remetem à bandeira da França e Rússia, que são países conhecidos por conta de seus autores e isto não faz o escritor gonçalense em pensar numa tradução de suas obras com crônicas do município serem traduzidas tanto ao francês ou russo.

"Eu acho que essas três cores combinam muito bem e podem sim ser traduzidas para outras línguas. Gosto do idioma russo e do francês. A literatura desses países me encanta. Inclusive, já li em algum livro de escritores destes países, como os russos Dostoievski ou Tolstoi. Embora a literatura de cada um deles tenha um microcosmo que pode parecer restrita àquele lugar,  em contrapartida, é justamente essa identidade humana compartilhada que aproxima os seres. Portanto, se falarmos de nossa São Gonçalo, estaremos falando do mundo também. Então, sim, existe a possibilidade de (quem sabe?) traduzir para outras línguas", cogita.

Outro projeto que Erick pretende fazer em sua carreira literária é a produção de um romance. Já que até o momento, Erick tem um livro de contos intitulado como "Panapaná" além dos dois livros da série "Cambada", que ainda deverá contar com inúmeros volumes.

"Panapaná é um livro de contos sombrios. Saiu em 2018, é meu livro inaugural. Mas penso em publicar um romance sim. Um romance histórico, baseado em documentos verdadeiros que encontrei sobre um figurão famoso do período escravocrata do Brasil. Aliás, o romance está ficando lindo e já se encontra bem adiantado. Quanto ao "Cambada", enquanto houver história pra contar, continuarei. Pois ainda há muitas narrativas chegando até mim. E por enquanto não enxergo um fim", finalizou.

Para quem quiser comprar o "Cambada II", o valor deste volume custa R$35 e pode ser adquirido em contato direto com o autor através do Whatsapp: (21) 98571.9114 ou pelo e-mail ergalharti@hotmail.com. Outra forma de adquirir este exemplar da cor azulada do caranguejo guaiamum pode ser encomendado pela editora Apologia Brasil pelo número (21) 97168.7756 ou indo à livraria Ler é Arte, na Galeria Matriz, no Zé Garoto, que também disponibiliza o telefone: (21) 984746035 para reservas.

Matérias Relacionadas