Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4907
Search

'Playboy' do México traz, pela primeira vez, uma mulher trans na capa

Modelo de 27 anos celebrou o feito nas redes sociais

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 12 de novembro de 2020 - 15:31
Modelo é a primeira mulher trans a estrelar capa da revista Playboy no México
Modelo é a primeira mulher trans a estrelar capa da revista Playboy no México -

Pela primeira vez, uma mulher trans foi convidada para estrelar uma capa da revista Playboy no México. A influenciadora digital e ativista lgbt, Victoria Volkova, de 27 anos, foi responsável por fazer parte deste feito na edição de novembro. Nas redes sociais, a revista se posicionou sobre sua decisão.

"A Playboy México está comprometida com a abertura e a diversidade pelas quais lutamos diariamente no país. Prazer é um benefício para todas as pessoas, independente de gênero, orientação sexual ou raça", escreveu. A revista ainda usou uma frase de Victoria Volkova na postagem: "Anseio pelo momento em que uma pessoa trans na capa de uma revista não cause comoção e seja algo normal, que seja valorizada por sua beleza independente de sua história".

Victoria Volkova possui 900 mil seguidores no Instagram e também trabalha com um canal no Youtube que tem 1,2 milhões inscritos. Nas suas redes sociais, a modelo também agradeceu o espaço na revista. 

“Esta capa celebra as diferentes formas de ser mulher, as diferentes formas de ser bonita, as diferentes formas de explorar a sua sensualidade e desfrutar do seu processo. Espero que, com ela, as pessoas fiquem mais curiosas. Mais curiosidade em se conhecer, em saber como é ser uma pessoa trans, sobre como as pessoas trans vivem neste país e no mundo e pelo que temos que passar para ter uma vida digna, ser respeitados, ganhar a vida, para conseguir um emprego, sobreviver à escola, nesta sociedade que não se volta para nós ou para os nossos problemas”.

No Brasil, a primeira mulher trans a estrelar uma capa da Playboy aconteceu há 30 anos, com a modelo Roberta Close. Além do Brasil, outros países também já tomaram a iniciativa, como Estados Unidos e Alemanha, 2014 e 2018 respectivamente.

Matérias Relacionadas