Marcius Melhem é acusado de agarrar e assediar mulheres na Globo

Humorista foi acusado de assédio por várias mulheres da emissora

Escrito por Redação 26/10/2020 09:33, atualizado em 26/10/2020 10:58
As vítimas afirmam que o humorista era abusivo e violento
As vítimas afirmam que o humorista era abusivo e violento . Foto: Divulgação

 O jornal Folha de São Paulo publicou uma matéria, no último domingo (25), em que justificava um dos possíveis motivos pelo qual o humorista Marcius Melhem poderia ter sido demitido da Globo. Segundo o veículo, ele foi acusado de assediar várias mulheres da emissora. O caso veio à tona primeiramente com Dani Calabresa, que, em 2019, denunciou o humorista e chegou a afirmar que ele era violento e abusivo, mas a matéria da Folha deu mais detalhes sobre todo o caso. 


A advogada das vítimas, Mayra Cotta, informou ao jornal que Marcius era quem decidia quem era contratado ou demitido e utilizava desse poder para assediar suas vítimas. Ele mandava mensagens assediando as mulheres e chegava, até mesmo, a trancar estas em alguns espaços, segundo Cotta.


"Houve um comportamento recorrente, de trancar mulheres em espaços e as tentar agarrar, contra a vontade delas. De insistir e ficar mandando mensagem, inclusive de teor sexual para mulheres que ele decidia se iam ser escaladas ou não para trabalhar, se ia ter cena ou não para elas. De prejudicar as carreiras daquelas que o rejeitaram. De ficar obcecado, perseguindo mesmo. Foi um constrangimento sistemático e insistente, muito recorrente”, disse a advogada das vítimas.


Segundo Cotta, ele ainda criava um ambiente tóxico para que as atrizes se sentissem presas e não conseguissem sair dali.


"Ele isolava as atrizes, tinha o poder de não as deixar ir para outros lugares (na emissora), fazer outras coisas. E criava um ambiente de trabalho tóxico. As pessoas se sentiam presas, sem conseguir se livrar daquilo. Ele usava situações de trabalho para as tentar agarrar à força, inclusive usando violência", disse a advogada. 


Ela conta que ele ainda tentava agarrar as vítimas a força. "Tentou colocar contra a parede, beijar à força. Isso é bastante violento. Foram casos de assédio sexual mesmo. De mulheres falando não, não quero, me solta, não vou beijar, não vou ficar com você. E ele tentando, agarrando. Não tem zona cinzenta, isso é violência. E aí tem algo muito sério: ele era chefe delas. Ele tinha uma posição de poder", contou. 


Após a repercussão do caso, Marcius enviou uma carta para a Folha de São Paulo negando todas as acusações e afirmando que é inocente. Ele disse que "não seria capaz de praticar alguma violência, especialmente contra as mulheres".


"Eu coloco à disposição toda minha comunicação que tenho arquivada, com qualquer pessoa que tenha trabalhado ou se relacionado comigo nesses anos. E peço que ouçam as pessoas que trabalharam comigo, que acompanharam muitas situações de perto e que podem falar bastante sobre isso tudo. Peço por favor que apurem a verdade e não apoiem mentiras", disse o humorista. 


Melhem chegou a dizer que vai buscar sua verdade e procurar mostrar sua inocência.  "Sei que num caso desses, ainda mais no momento que vivemos, de tanto ódio, serei culpado até provar o contrário. Então, quero que tudo seja colocado às claras, expor a minha inocência e os meus erros. Quero poder pedir desculpas e cobrar responsabilidades. Vou em busca da verdade", completou Marcius.


Famosos prestam apoio às vítimas


Após isso, também, alguns famosos e amigos de Marcius Melhem resolveram se pronunciar sobre o caso. Um deles foi o também humorista Marcelo Adnet que, através de seu Twitter, prestou solidariedade às vítimas. "Sobre a matéria de Mônica Bérgamo na Folha de S.Paulo: todo meu apoio e solidariedade às vítimas", escreveu ele. 


Gregorio Duvivier também falou sobre o caso. "Parabéns a Mônica pela matéria, e toda solidariedade às vítimas", escreveu ele em seu Twitter.


José de Abreu também deu sua opinião sobre o assunto. "Marcius Melhem! Tava estranha mesmo sua demissão sem sentido... que coisa horrível", escreveu o ator.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas