Fachel critica atitude de Bolsonaro sobre compra de vacina

"Quase criminoso", disse o jornalista

Enviado Direto da Redação
Fachel violou regra da emissora

Fachel violou regra da emissora

Foto: Reprodução/Internet

O jornalista e apresentador da Rede Globo, Flávio Fachel, violou uma das regras estabelecidas pela emissora e fez declarações críticas à decisão do presidente Jair Bolsonaro em cancelar a compra de vacinas para o Coronavírus produzidas pela China em parceria com o Instituto Butantã, de São Paulo.

Recentemente, Bolsonaro afirmou que o Brasil não vai comprar a vacina chinesa pois ela não tem comprovação de eficácia e que a compra poderia virar 'palanque político' para o governador de São Paulo, João Dória, seu adversário político.


No Twitter, Flávio Fachel declarou que a ação é imoral e quase criminosa. "Nenhum presidente, seja ele qual for, não tem autoridade suficiente para abrir mão de qualquer vacina para a Covid-19, venha ela de onde vier. É imoral e quase criminoso pretender isso”.

A declaração de Fachel dividiu a opinião dos internautas. Aliados do presidente endossaram a fala de que não há comprovação científica da vacina, enquanto outros lembraram que Bolsonaro defendeu o uso da cloroquina, que ficou comprovada como ineficaz contra o vírus.

A regra da emissora diz que profissionais da área devem se abster de opiniões políticas e de defender ideologias, para assim manter a integridade da cobertura jornalística.

Veja também