Baterista gonçalense lança música que conta história real sobre racismo

Conheça a história de Fábio Fontoura!

Enviado Direto da Redação

Por Ana Carolina Moraes*


São Gonçalo continua sendo o berço de inúmeros talentos na arte e uma das pessoas que provam isso é o músico Fábio Lúcio da Costa Fontoura, mais conhecido como Fábio Fontoura, de 40 anos. Ele, que tem importantes influências musicais desde os nove anos de idade, lançou, no dia 26 do último mês, o segundo episódio de seu projeto chamado "Eutôno" (o nome se liga ao Outono, estação do ano preferida do cantor), que conta com três episódios ao todo, sendo que o primeiro foi lançado em 2017. O novo clipe de Fábio, que fala sobre racismo, se chama "Hominum" (humanos). O terceiro vídeo do projeto deve ser lançado ainda este ano. Conheça melhor a vida do gonçalense!


Aos nove anos, Fábio, que hoje é cantor, baterista, compositor e produtor musical, começou a receber suas primeiras influências na música através do vinil de Thriller, do Michel Jackson. Depois, ele estudou piano, bateria e até fez shows em um Cruzeiro que viajava pela América nos anos de 2007 e 2008, além de ter viajado pelo mundo tocando pelo projeto “Uma saudação à Whitney Houston”, cuja cantora era Vanessa Jackson, entre os anos de 2016 e 2018. O músico afirma se inspirar em cantores da música popular, como Sandra de Sá, João Sabiá, Iza, Zé Ricardo, Luiza Possi, Vanessa Jackson e muitos outros, incluindo a cantora Mayla, que é sua esposa e sua inspiração para compor "Hominum".


"Hominum" conta a história de Mayla e de como ela, aos sete anos, chorava e sofria com o racismo, pois era proibida de brincar dentro da casa de uma colega branca apenas por ser negra e só podia brincar com a colega do lado de fora. O clipe traz imagens de manifestação contra o racismo e de pessoas que ainda sofrem com essa desigualdade causada pela cor de pele nos dias de hoje. Todos os três episódios do projeto "Eutôno" são temas importantes para a sociedade refletir sobre: o primeiro, lançado em 2017, fala sobre cuidar das crianças e as proteger, o segundo fala sobre o racismo e o terceiro falará sobre a importância da ancestralidade. 


"São palavras com significado muito importante para mim e que acredito também serem importantes para todos. No fim das contas, quero ser útil de alguma forma, usando minha arte. Para mim, não faria sentido lançar algo que, no mínimo, não gerasse reflexão e a possibilidade de diálogos sobre esse assunto, primeiro em mim e depois em quem escutar. É importante também para minha família, e principalmente para meu filho Lucca, de 7 anos, que fez parte de todo processo de pré produção, composição, arranjos, ouvindo e dando opiniões", disse o cantor. 


Fábio é o responsável pelo violão, pela bateria, pelos samples e inserções, pela voz e pela edição de vídeo e cover art de "Hominum". Para quem quiser conhecer mais o cantor e entender sobre seu projeto, basta ouvir "Hominum" nas plataformas de vídeo, já que o single está disponível tanto no Spotify quanto no Youtube. Aqueles que desejam acompanhar os próximos passos de Fábio Fontoura, basta seguir o mesmo nas redes sociais: Facebook (@fabiofontouraoficial), Youtube (Fábio Fontoura), Spotify (Fábio Fontoura) e Instagram (@fabiofontoura_). 


Serviço: 


A música "Hominum", segundo single do projeto "Eutôno", de Fábio, está disponível para ser ouvida nos link a seguir:


https://www.youtube.com/watch?v=UG8HiTvVxIo&feature=youtu.be


https://open.spotify.com/album/17vawfr5g1Hx8Iud0xzk04


*Estagiária sob supervisão de Marcela Freitas 
 

Veja também