Peça 'Caranguejo Overdrive' tem entrada gratuita no Teatro Popular

A classificação é 16 anos

Enviado Direto da Redação

Foto: Divulgação


O personagem é um homem, um caranguejo, um soldado ou um operário? Essa é a provocação que o espetáculo "Caranguejo Overdrive" leva para o Teatro Popular Oscar Niemeyer nos dias 18 e 19, terça e quarta-feira, às 20h. Com provocadoras referências às obras de Chico Science e Josué de Castro, o diretor Marco André Nunes evoca na peça, mesmo ambientada no ano de 1870, o momento presente, ao aludir às recentes obras urbanísticas ocorridas no Rio de Janeiro e às inúmeras remoções que dela decorreram. A entrada é gratuita.


Caranguejo Overdrive conta a história de Cosme, ex-catador de caranguejos no mangue carioca da metade do século XIX. Convocado para integrar as forças brasileiras na Guerra do Paraguai, Cosme sofre um colapso nervoso no campo de batalha, é dispensado e volta ao Rio de janeiro cinco anos depois, encontrando uma cidade sofrendo grandes transformações urbanísticas - uma cidade, para ele, irreconhecível e com sabor de exílio.


Cosme então se refugia na região do Mangue – a parte da cidade então chamada Rocio Pequeno, hoje a Praça 11 - e se emprega na construção do famoso Canal que representou a primeira grande obra de saneamento do Rio. Depois de uma nova crise, abandona tudo, vaga pela noite, mergulha no delírio. Apanhado por uma tempestade, dessas tão conhecidas dos cariocas, torna-se enfim um caranguejo.


No texto de Pedro Kosovski, duas referências se impõem. A primeira, a do Manguebeat de Chico Science, uma fusão de música eletrônica e tambores de maracatu. Mais uma vez, a música compõe a performance, com Felipe Storino (guitarra e direção musical) à frente. São todas canções/trilhas originais, dialogado com a performance dos atores.


A segunda referência é ao trabalho do geógrafo Josué de Castro, em sua dura poética, serve aqui de mote: "A lama dos mangues de Recife, fervilhando de caranguejos e povoada de seres humanos feitos de carne de caranguejo, pensando e sentindo como caranguejo. São seres anfíbios - habitantes da terra e da água, meio homens e meio bichos. Alimentados na infância com caldo de caranguejo - este leite de lama -, se faziam irmãos de leite dos caranguejos. [...] A impressão que eu tinha era a de que os habitantes dos mangues - homens e caranguejos nascidos à beira do rio - à medida que iam crescendo, iam cada vez se atolando mais na lama".

Serviço
Caranguejo Overdrive
Data: 18 e 19 de fevereiro
Horário: Terça e quarta, às 20h
Classificação indicativa: 16 anos
Local: Teatro Popular Oscar Niemeyer
Rua Jornalista Rogério Coelho Neto, s/nº - Centro, Niterói
Telefone: (21) 2620-6101
Entrada gratuita - 1kg de alimento não perecível

Veja também