Sambistas planejam protesto na Praia das Pedrinhas; veja os destaques do Carnaval

E mais: Viradouro segue de 'vento em popa'

Escrito por Redação 16/01/2018 17:00, atualizado em 13/01/2018 11:47
Já não é de hoje que o Carnaval tem dado uma autêntica ‘dor de cabeça’ aos governantes e sambistas. Desde que a crise que assola o poder público começou, há quatro anos, a suspensão de recursos públicos vem provocando o cancelamento da festa em várias cidades do Estado. E em São Gonçalo, após três anos sem desfiles oficiais, os sambistas prometem ir às ruas num grande protesto no próximo dia 26.

Em nome do samba, os organizadores do protesto já contam com carro de som, bateria e até uma espécie de ‘hino oficial’, que já ‘rola’ nas redes sociais com grande número de vizualizações. O protesto vai começar na Praia das Pedrinhas e seguirá em direção a outros bairros de São Gonçalo. Representantes de escolas de samba e blocos da cidade prometem marcar presença. Querem a volta dos desfiles. Membros de algumas agremiações chegaram a fazer despesas achando que haveria o desfile.
Já não é de hoje que o Carnaval tem dado uma autêntica ‘dor de cabeça’ aos governantes e sambistas. Desde que a crise que assola o poder público começou, há quatro anos, a suspensão de recursos públicos vem provocando o cancelamento da festa em várias cidades do Estado. E em São Gonçalo, após três anos sem desfiles oficiais, os sambistas prometem ir às ruas num grande protesto no próximo dia 26. Em nome do samba, os organizadores do protesto já contam com carro de som, bateria e até uma espécie de ‘hino oficial’, que já ‘rola’ nas redes sociais com grande número de vizualizações. O protesto vai começar na Praia das Pedrinhas e seguirá em direção a outros bairros de São Gonçalo. Representantes de escolas de samba e blocos da cidade prometem marcar presença. Querem a volta dos desfiles. Membros de algumas agremiações chegaram a fazer despesas achando que haveria o desfile. . Foto: Divulgação


/Já não é de hoje que o Carnaval tem dado uma autêntica ‘dor de cabeça’ aos governantes e sambistas. Desde que a crise que assola o poder público começou, há quatro anos, a suspensão de recursos públicos vem provocando o cancelamento da festa em várias cidades do Estado. E em São Gonçalo, após três anos sem desfiles oficiais, os sambistas prometem ir às ruas num grande protesto no próximo dia 26.

Em nome do samba, os organizadores do protesto já contam com carro de som, bateria e até uma espécie de ‘hino oficial’, que já ‘rola’ nas redes sociais com grande número de vizualizações. O protesto vai começar na Praia das Pedrinhas e seguirá em direção a outros bairros de São Gonçalo. Representantes de escolas de samba e blocos da cidade prometem marcar presença. Querem a volta dos desfiles. Membros de algumas agremiações chegaram a fazer despesas achando que haveria o desfile.
Já não é de hoje que o Carnaval tem dado uma autêntica ‘dor de cabeça’ aos governantes e sambistas. Desde que a crise que assola o poder público começou, há quatro anos, a suspensão de recursos públicos vem provocando o cancelamento da festa em várias cidades do Estado. E em São Gonçalo, após três anos sem desfiles oficiais, os sambistas prometem ir às ruas num grande protesto no próximo dia 26. Em nome do samba, os organizadores do protesto já contam com carro de som, bateria e até uma espécie de ‘hino oficial’, que já ‘rola’ nas redes sociais com grande número de vizualizações. O protesto vai começar na Praia das Pedrinhas e seguirá em direção a outros bairros de São Gonçalo. Representantes de escolas de samba e blocos da cidade prometem marcar presença. Querem a volta dos desfiles. Membros de algumas agremiações chegaram a fazer despesas achando que haveria o desfile.. Foto por Divulgação
/Na contramão da crise, algumas escolas conseguiram fazer um bom trabalho preparatório para a disputa na Série A do Rio de Janeiro. A Viradouro, com diretoria renovada, pagou dívidas da antiga gestão e fez parcerias que possibilitaram a conclusão dos trabalhos de barracão no fim do ano passado. O mesmo aconteceu com a Unidos de Padre Miguel. Não é a toa que as duas estão sempre entre as primeiras colocadas e aparecem como candidatas ao acesso para o Grupo Especial.
Na contramão da crise, algumas escolas conseguiram fazer um bom trabalho preparatório para a disputa na Série A do Rio de Janeiro. A Viradouro, com diretoria renovada, pagou dívidas da antiga gestão e fez parcerias que possibilitaram a conclusão dos trabalhos de barracão no fim do ano passado. O mesmo aconteceu com a Unidos de Padre Miguel. Não é a toa que as duas estão sempre entre as primeiras colocadas e aparecem como candidatas ao acesso para o Grupo Especial.. Foto por Divulgação
/Se em São Gonçalo, a festa está mais uma vez suspensa... em Niterói está tudo certo para a décima terceira edição da apresentação das escolas de samba. A Rua da Conceição foi confirmada, mais uma vez, como ‘palco’ da passagem das agremiações. Pela primeira vez, duas entidades - a União das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Niterói (Uesbcn) e a Liga das Escola de Samba de Niterói (Lesnit) - vão organizar a parte artística da festa, que tem direção-geral da Neltur. Para modernizar e qualificar a festa, foi montada uma comissão mista, composta por sambistas e gestores públicos da área cultural da cidade. Tudo para que festa volte a crescer.
Se em São Gonçalo, a festa está mais uma vez suspensa... em Niterói está tudo certo para a décima terceira edição da apresentação das escolas de samba. A Rua da Conceição foi confirmada, mais uma vez, como ‘palco’ da passagem das agremiações. Pela primeira vez, duas entidades - a União das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Niterói (Uesbcn) e a Liga das Escola de Samba de Niterói (Lesnit) - vão organizar a parte artística da festa, que tem direção-geral da Neltur. Para modernizar e qualificar a festa, foi montada uma comissão mista, composta por sambistas e gestores públicos da área cultural da cidade. Tudo para que festa volte a crescer.. Foto por Divulgação

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas