Carnaval 2022: saiba como serão os desfiles do Grupo Especial e da Série Ouro!

No ano passado, a Viradouro ficou em 1° lugar nos desfiles do Grupo Especial

Escrito por Ana Carolina Moraes 21/04/2022 08:32, atualizado em 15/04/2022 10:29
Viradouro venceu o Carnaval de 2022
Viradouro venceu o Carnaval de 2022 . Foto: Arquivo OSG

Os fãs de Carnaval já se preparam para acompanhar as escolas de samba na Sapucaí no final deste mês. Nos dias 22 e 23 irão desfilar as escolas do Grupo Especial, incluindo a Viradouro, escola de Niterói e que foi campeã de 2022. Já nos dias 20 e 21 de abril irão desfilar as escolas da Série Ouro do Carnaval 2022, que buscam uma vaga no Grupo Especial no ano seguinte. Como preparativo para o evento, O SÃO GONÇALO resolveu fazer uma lista com a ordem das escolas que irão desfilar. Muitos sambas-enredo fazem homenagens a grandes nomes do samba e do Carnaval, ou falam de negritude ou de temas das religiões africanas.

Grupo Especial

Sexta-feira (22)

Na sexta-feira (22), o desfile começa às 22 com a Imperatriz Leopoldinense. A escola retornou ao Grupo Especial neste ano depois de conseguir o primeiro lugar nos Grupos da Série Ouro. Neste ano, o samba enredo da escola será “Meninos eu vivi... Onde canta o sabiá, Onde cantam Dalva & Lamartine” e irá falar sobre o carnavalesco Arlindo Rodrigues, que fez história na escola junto do presidente Luizinho Drummond, dentre outros nomes. 

Depois da Imperatriz, irá desfilar a Estação Primeira de Mangueira, que no ano passado ficou em 6° lugar com o enredo "A Verdade Vos Fará Livre". A escola também homenageará grandes nomes que a impactaram em seu samba deste ano. Em seu samba-enredo “Angenor, José & Laurindo”, a escola falará de ícones da Mangueira que são Angenor (o cantor e compositor conhecido como Cartola), o cantor José Bispo Clementino dos Santos (o Jamelão) e Hélio Laurindo (o mestre-sala Delegado). Todos eles foram importantes nomes para a escola. Cartola morreu em 1980, Jamelão em 2008 e Delegado em 2012. 

Depois disso, temos a Acadêmicos do Salgueiro com o samba "Resistência", que falará sobre resistência negra em sua letra, além de destacar os lugares do Rio que foram marcantes para que a negritude resistisse em meio aos ataques que sofreu durante os anos. A escola ficou em 5° lugar no ano de 2020, com o samba "O Rei Negro do Picadeiro". 

A São Clemente será a quarta escola a desfilar no primeiro dia e seu samba homenageará o humorista Paulo Gustavo, que morreu de Covid-19 em 2021, aos 42 anos. Paulo foi nascido e criado em Niterói e é conhecido por filmes como 'Minha Mãe É Uma Peça', 'Os Homens São de Marte... E É Pra Lá Que Eu Vou...' e por participar de séries como '220 Volts' e 'Vai Que Cola', dentre outros. O samba-enredo da escola se chamará "Minha vida é uma peça". Em 2020, a São Clemente ficou em 10° lugar na avenida.

A grande campeã de 2020, a Viradouro, de Niterói, será a quinta a desfilar no primeiro dia. Com o enredo “Não há tristeza que possa suportar tanta alegria”, que fala sobre o carnaval após a gripe espanhola de 1919, a escola fará um paralelo com o carnaval deste ano. Em 1919, o carnaval também teve que ser interrompido por causa da doença, assim como em 2021 com a Covid-19. No ano de 2020, a Viradouro do Barreto cantou o enredo "Viradouro de Alma Lavada" e contou com customizações e harmonias que foram de tirar o fôlego. 

A Beija-Flor de Nilópolis fecha a primeira noite com um samba que também vai falar sobre a negritude, mais especificamente sobre a história contada pela ótica dos negros e mostrando seus personagens, diferente de algumas versões contadas por aí, que privilegiam o povo branco. Neguinho da Beija-Flor deverá cantar o samba-enredo “Empretecer o pensamento é ouvir da voz da Beija-Flor” por volta das 3h. Em 2020, a escola ficou em 4° lugar na avaliação do Grupo Especial.

Sábado (23)

A Paraíso do Tuiuti é a primeira escola a desfilar no sábado. Ela começa sua apresentação às 22h e vai apresentar o samba “Ka ríba tí ÿe — Que nossos caminhos se abram”, que fala também sobre ícones negros na história, mostrando a força do povo e sua resistência. No ano passado, a escola ficou em 11° lugar no Grupo Especial e eles quase acabaram perdendo a vaga e voltando para o Grupo Série Ouro.

Em seguida, a Portela abre caminho na avenida para o seu desfile. Em “Igi Osè – Baobá”, a escola irá falar um pouco sobre um símbolo que teve origem com os povos africanos: o baobá. Esta seria uma árvore da vida, que fala sobre a resistência e a ancestralidade dos povos africanos. Ela seria uma espécie de portal que liga o pessoal do mundo humano com o mundo sagrado. Em 2020, a Portela ficou em 7° lugar na avaliação do Grupo Especial na avenida.

Por volta da meia-noite, é a vez da Mocidade Independente de Padre Miguel assumir a avenida com o samba “Batuque ao Caçador", que contará um pouco da história do orixá Oxóssi, que vivia na mata, caçando com seu arco e flecha. No ano de 2020, a escola ficou em 3° lugar com um samba que falava da ícone da música brasileira, Elza Soares.

Em seguida, a Unidos da Tijuca marcará presença com o samba-enredo “Waranã – A reexistência vermelha”, falando sobre o guaraná, destacando a história do povo da floresta e a lenda de que o guaraná seria os olhos de um pequeno índio que foi morto após ser picado por uma cobra, que seria o deus da escuridão Jurupari, que tinha inveja da criança. O menininho estaria caçando alguns frutos nas árvores da floresta quando ocorreu a situação. Ele ter virado o guaraná foi uma forma de homenagem do deus Tupã para o garoto e sua família. Em 2020, com o samba-enredo que fala sobre sonhos, a escola ficou em nono lugar. 

A Grande Rio, que ficou em 2° lugar em 2020, será a quinta escola a desfilar na avenida no segundo dia. Com o samba-enredo "Fala, Majeté! As sete chaves de Exu", falam sobre Exu. O orixá é interpreta de forma negativa por algumas pessoas, mas muita gente da religião africana é fiel a ele e grata, entendendo que ele tem sua força e também guia com sabedoria os caminhos das pessoas. No último Carnaval eles falaram sobre "Tata Londirá - O Canto do Caboclo no Quilombo de Caxias". 

A última escola a desfilar será a Unidos de Vila Isabel, com o samba-enredo “Canta, canta minha gente! A Vila é de Martinho!”, homenageando Martinho da Vila. Ele é um dos grandes nomes do samba e de Vila Isabel. No ano anterior de Carnaval, a escola ficou em 8° lugar. 

Em 2020, as escolas Estácio de Sá e União da Ilha do Governador perderam na classificação do Grupo Especial e caíram para o grupo da Série Ouro.

Série Ouro

Quarta-feira (20)

A primeira escola que irá desfilar no Grupo Série Ouro do Carnaval carioca é a escola Em Cima da Hora, que trará o samba-enredo " 33 Destino Dom Pedro II", falando um pouco sobre a vida do trabalhador no trem, indo trabalhar.

A segunda escola do primeiro dia será a Acadêmicos do Cubango, escola de Niterói. Com o enredo "O Amor Preto Cura: Chica Xavier – a Mãe Baiana do Brasil", a escola busca falar sobre a atriz que ganhou diversos palcos no Rio de Janeiro. Chica também era mãe de santo.

A Unidos da Ponte desfilará logo após a Cubango. O enredo da escola deste ano será a "Santa Dulce dos Pobres – O Anjo Bom da Bahia", homenageando a freira baiana que foi beatificada pelo Papa Bento XVI em 2011.  

A Unidos do Porto da Pedra, escola de São Gonçalo, será a quarta a desfilar na avenida neste dia. Com o enredo “O Caçador que traz Alegrias”, a ideia é homenagear a yalorixá Mãe Stella de Oxóssi.

Depois, a União da Ilha do Governador assuma a avenida e cantará o samba-enredo "O Vendedor de Orações", que exaltará a fé por Nossa Senhora Aparecida.

A Unidos de Bangu vem em seguida com o samba "Deu Castor na cabeça", haverá um pouco da história do bairro Bangu, do Bangu Atlético Clube e do bicheiro Castor de Andrade. 

A última escola do primeiro dia da Série Ouro será a Acadêmicos do Sossego, também de Niterói, e levará o enredo "Visões Xamânicas" para a avenida. Na música, a escola trará profecias dos índios sobre o fim do mundo por causa da falta de cuidado dos humanos com o planeta.

Quinta-feira (21)

A primeira escola deste dia será a Lins Imperial, com o samba "Mussum pra sempris – traga o mé que hoje com a Lins vai ter muito samba no pé!”, homenageando o humorista Mussum, que nasceu na comunidade. Ele fez história por todo o país e fez para dos Trapalhões. 

Depois, virá a Inocentes de Belford Roxo, que trará o samba “A Meia-Noite dos Tambores Silenciosos”, uma festa que ocorre durante o Carnaval, em Pernambuco há mais de 50 anos. 

A Estácio de Sá vem em sequência com o samba "Cobra Coral, Papagaio Vintém, Vesti Rubro-Negro, Não Tem pra Ninguém", que reedita um samba de 1995 da escola e faz uma homenagem ao Flamengo.

Depois vem a escola Acadêmicos de Santa Cruz, com o samba "Axé! Milton Gonçalves no Catupé da Santa Cruz", que homenageia o ator e diretor Milton Gonçalves. Ele estará no desfile e poderá ajudar a contar sua história na avenida.

Em seguida, a escola de samba Unidos de Padre Miguel entrará com o samba "Iroko – É Tempo de Xirê", fazendo referência ao orixá do tempo nas religiões de origem africana. 

A Acadêmicos de Vigário Geral vem em seguida com o samba "Pequena África: Da Escravidão ao Pertencimento – Camadas de Memórias entre o Mar e o Morro", falando um pouco da chegada do povo africano no Rio de Janeiro.

Depois vem a Império da Tijuca com o samba "Samba Quilombo. A Resistência pela Raiz", falando da escola de samba denominada 'Quilombo' que foi fundada nos anos 70 como uma forma de resistência negra durante a época do Carnaval no Rio de Janeiro.

Ao final, virá a escola Império Serrano, encerrando o grupo de Ouro com o samba "Mangangá", que fala sobre o Besouro Mangangá, um capoeirista baiano que resistiu aos problemas enfrentados pelos negros após a abolição da escravatura. Segundo a lenda, ele pode ficar invisível na frente dos rivais e se tornava besouro quando precisava. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas