'Castelo de Cartas Que Escrevi': Escritora gonçalense lança livro de poesia e faz paralelo com jogo de baralho

O exemplar conta com 54 poemas e foi lançado neste domingo (1)

Escrito por *Matheus Mattos 02/08/2021 13:20, atualizado em 02/08/2021 14:06
Escritora Dominique Franco
Escritora Dominique Franco . Foto: Divulgação

A escritora Dominique Franco, gonçalense de coração, lançou o livro 'Castelo de Cartas que Escrevi', neste domingo (1), que aborda suas impressões da vida. O lançamento aconteceu de forma online, pelo Instagram da autora (@tiasfofinhas). O exemplar conta com 54 poemas, distribuídos em 80 páginas e faz um paralelo com os quatro naipes de um jogo de baralho.

"O livro é uma coletânea de 54 poemas em 80 páginas, dividido entre os quatro naipes e suas temáticas, tal qual um jogo de baralho. Entre os anos de 2008 e 2021 a mesma pessoa em suas muitas versões escreveu suas impressões da vida na forma de poemas. Um jogo de baralho tem naipes, uma pessoa tem naipes, a vida tem naipes. 'Castelo de Cartas que Escrevi' é basicamente uma jogadora botando suas cartas sobre a mesa, cartas que tinha na mão sem blefe, só jogo limpo", contou a autora Dominique Franco, de 30 anos, sobre o conteúdo do livro.

Dominique contou que sobre a procura pelo exemplar, não viu urgência em realizar uma pré-venda, mas que mesmo assim já possui demanda pela sua produção.

"Fiz o lançamento ontem e já tenho encomendas. Não fiz pré-venda, pois não vi necessidade, é minha primeira publicação e não sei muito bem como funcionava. Fiquei satisfeita da forma como conduzi.", comentou.

Autopublicação

A escritora discorre também sobre os benefícios e os malefícios de fazer a produção de forma independente, sem o suporte de uma editora.

"As vantagens é que o custo de produção é bem menor e eu posso produzir conforme a demanda, sem a necessidade de ter que investir em um estoque, sem ter a certeza que vai ter público. Como é minha primeira empreitada como escritora e sabia que meu público seria modesto, foi a melhor saída. As desvantagens é que o livro sai com aspecto artesanal (o que para mim não foi um problema, gosto dessa estética) que para muitos pode não ser compatível com o sonho de ter aquele livro com cara de editora. Outro ponto é que na autopublicação você é o único responsável por todos os processos", relatou Dominique.

Com isso, a autora conta que quer servir de exemplo para outros escritores que queiram lançar suas produções, mas sabem que o mercado com as editoras pode ser complicado.

"Não conheço muitos outros autores que fizeram o mesmo (autopublicação), mas fico torcendo que o meu caso seja um exemplo positivo, para dar poder e incentivo a outros autores que desejam publicar seus livros, porém sabem que via editora pode ser inviável, inacessível e pode encarecer o produto final".

Projeto Cultural em São Gonçalo

Além do livro, Dominique atua em um projeto cultural em São Gonçalo. Trata-se do Cul.Tur.Arte São Gonçalo, que trabalha os principais pontos turísticos e eventos no município.

"A página Cul.Tur.Arte São Gonçalo visa apresentar à população de São Gonçalo e de outros municípios todo potencial cultural e de interesse turístico em nosso município. Temos conteúdo no site (clique aqui para conhecer) e no Instagram. É um trabalho que faço com muito carinho na esperança de que São Gonçalo seja valorizado e desfrutado à altura que ele merece. No site temos playlists de artistas gonçalenses, o mapa no Google Maps com todos os pontos de interesse turístico, temos as postagens explicando a história e a importância de cada um desses pontos, entrevistas que já dei explicando o projeto e muito mais".

Para quem tiver interesse em acompanhar o trabalho desenvolvido, basta entrar no site ou no @culturartesg no Instagram.

Como comprar o 'Castelo de Cartas que Escrevi'?

No que diz respeito ao livro 'Castelos de Cartas que Escrevi', ele está disponível na versão física e no formato digital, basta acessar os links para comprar.

*Sob supervisão de Cyntia Fonseca

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas