Artista gaúcho lança EP instrumental com ritmos latinos e brasileiros, saiba mais!

O artista já lançou quatro músicas do álbum em questão

Escrito por Ana Carolina Moraes 22/07/2021 18:05, atualizado em 22/07/2021 13:36
O artista vive de música desde os seus 18 anos
O artista vive de música desde os seus 18 anos . Foto: Divulgação

Imagina misturar os ritmos brasileiros com os ritmos latino-americanos? Essa foi a proposta de Tasso Canaparro, o músico de 30 anos, que está lançando seu EP instrumental denominado 'Tropicumbia - Tasso Canaparro y amigos'. Com a ideia de lançar uma faixa do seu trabalho por mês, neste domingo (25), Tasso lança a quinta música denominada 'Pela Madrugada'. Além disso, ele pretende também lançar um vídeo para a música com imagens de sua viagem de Uruguaiana até a Bahia. Ao todo, o primeiro álbum do artista terá 8 faixas, quatro destas já foram lançadas. Tasso nasceu em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul e, por isso, sofreu bastante influência dos ritmos musicais dos países que fazem fronteira com o Brasil, como a Argentina, por exemplo, e pensou em lançar músicas que misturassem os ritmos e fizessem as pessoas dançarem, o que, segundo ele, é seu principal objetivo.

Essa é a capa do álbum de Tasso. Arte feita por Jacqueline Rodríguez
Essa é a capa do álbum de Tasso. Arte feita por Jacqueline Rodríguez | Foto: Divulgação
 

A história de Tasso com a música começou quando ele tinha 17 anos. Ele se encantou por instrumentos de percussão, como o bongô, bateria e o cajon. Depois, ele foi aprimorando seus conhecimentos, estudando mais sobre a música e passou a viver disso, tocando em bandas, bares e eventos lá na cidade onde mora. Ele também passou a viajar para conhecer o Brasil e se apaixonou por mais ritmos tipicamente brasileiros, como o forró, que inclusive, é um dos estilos musicais que se mistura com a cúmbia no EP dele. Até que, ano passado, ele resolveu iniciar o projeto de seu CD, que até agora já teve quatro músicas lançadas, sendo elas: Cumb'ando, 1935, Pájaro Libre e Maya.

"Eu sempre tive o sonho de lançar um EP, mas, como eu não canto e toco instrumentos de percussão fiquei pensando em como fazer. Já que CDs instrumentais são de músicos que tocam instrumentos de corda, de tecla ou de sopro, o que não é o meu caso. Então, viajando pelo Brasil e por outros países, eu conheci pessoas que tocam outros instrumento e, há um ano, resolvi chamar alguns deles para estar nesse álbum comigo. Resolvi, então, gravar músicas do gênero cúmbia, que é um que eu cresci escutando aqui no sul, misturando com outros gêneros. Meu sonho é fazer as pessoas dançarem com a minha música", contou Tasso.

Essa é a contra capa do álbum. Arte feita por Jacqueline Rodríguez
Essa é a contra capa do álbum. Arte feita por Jacqueline Rodríguez | Foto: Divulgação
 

O disco em questão é itinerante, ou seja, foi gravado em diversos lugares do mundo. Uma parte foi gravada em Uruguaiana, outra da Chapada Diamantina, na Bahia, na Argentina e em outros lugares. Inicialmente, Tasso ficou em dúvida entre os nomes do EP, mas, juntamente com fãs e amigos do Instagram, ele resolveu que seria Tropicumbia, assim como também decidiu em conjunto, qual seria a capa de seu álbum. "Nada aqui sou eu que decido e pronto, tudo é com amigos", disse ele.

Ele lançou sua primeira música em março e viu seu sonho se tornar realidade. "A cúmbia é um ritmo afrocolombiano, mas que tem muita influência no sul e no norte do Brasil. As minhas músicas tem uma diferença de uma para a outra, uma tem a mistura da cúmbia com o forró, outra da cúmbia com o rock, a próxima que vou lançar denominada 'Pela Madrugada' é a mistura da cúmbia com o blues. Por enquanto, estou lançando essas músicas todo mês, a próxima será a quinta música lançada no dia 25 de julho. A minha ideia é divulgar todas as canções na internet e depois organizar uma festa de lançamento para um EP físico aqui em Uruguaiana. Quero distribuir minha música e ver as pessoas sentindo ela. Para o disco físico, algumas das músicas já lançadas serão alteradas, já que algumas possuem só o "esqueleto" e haverá também uma faixa bônus que um DJ daqui da minha cidade irá remixar, ou seja, serão 9 músicas", destacou o artista.

Ele toca instrumentos de percussão
Ele toca instrumentos de percussão | Foto: Divulgação
 

Apesar de sentir que a cúmbia ainda é um estilo que sofre um pouco de preconceito no Brasil, Tasso se sente motivado com o seu álbum. "Poucas bandas no Brasil tocam esse estilo de música, digamos que apenas três ou quatro grupos sabem tocar esse gênero da cúmbia. Então, eu sei que vai ser difícil no Brasil a música ser aceita, mas com certeza se eu for para países com Argentina, Colômbia, Peru, eu sei que vai ser mais atrativo, por ser um gênero dançante. A minha ideia foi trabalhar com o ritmo da cúmbia para que as pessoas que estejam entre amigos numa festa, num bar, dancem e sintam prazer e alegria nisso. Para mim é maravilhoso, quando chega o momento no final de cada música que eu paro e me dou conta que mais uma música foi concluída. Este EP é a realização de um projeto que eu tinha na minha mente e agora que eu coloquei em prática, é ótimo! Eu vejo as pessoas escutando o meu disco, sentindo o momento, as músicas, cada instrumento usado, cada amigo que eu chamei para fazer parte desse projeto, tudo foi muito bem pensado. E esse material vai estar aí para podermos ouvir daqui a 100, 200 anos. Eu vou poder deixar a minha marca, isso é muito especial", finalizou ele.

Para quem quiser ouvir as músicas do CD de Tasso, basta acessar uma das redes sociais dele:

Instagram - @tassocanaparro 

Spotify - Tropicumbia 

Youtube - TROPICUMBIA (Cumbia Instrumental)

(A música lançada no próximo dia 25 de julho podem ser ouvidas primeiramente no Instagram do artista e no seu canal no Youtube, depois de alguns dias elas são lançadas no Spotify).

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas