Exposição "Interações", de Jo Grassini, está no Espaço Cultural dos Correios, em Niterói

Jo contou sobre sua trajetória no mundo da arte

Escrito por Ana Carolina Moraes* 23/01/2021 13:40, atualizado em 23/01/2021 14:47
A artista trabalha com diversos tamanhos de esculturas
A artista trabalha com diversos tamanhos de esculturas . Foto: Divulgação

Está tendo início neste sábado (23), a exposição "Interações", feita pela artista Jo Grassini, de 55 anos, natural de Campos dos Goytacazes, mas que, em 1993, abriu um atelier de escultura em Niterói e possui trabalhos expostos em São Gonçalo. A exposição "Interações" possui 70 miniaturas em pedra sabão em uma redoma, 6 esculturas de cerâmica e fotografias de Chris Portugal sobre os trabalhos de Jo. A exposição ocorre no Espaço Cultural Correios, em Niterói.

Em entrevista exclusiva ao O SÃO GONÇALO, Joselia Grassini, mais conhecida como Jo Grassini, conta como surgiu a ideia da exposição. "Em 2019, eu estava expondo no Museu dos Bondes, localizado na frente do Guanabara, em Niterói, e aí, conversando com a curadora da época, surgiu a ideia de expor nos Correios. Nesse momento, eu falei para a Chris Portugal, que já foi a minha curadora em outras exposições, que era para a gente ir lá e mandar meu currículo. Foi aí que ela conseguiu", contou Jo que hoje mora em São Gonçalo. Chris também é a curadora da atual exposição da artista. 

A artista trabalha com diversos tamanhos de esculturas
A artista trabalha com diversos tamanhos de esculturas | Foto: Divulgação
 

No entanto, a exposição "Interações" era para ter ocorrido em março de 2020, mas, com a pandemia, tudo teve que ser alterado.

As esculturas de Jo feitas com cerâmica passam por um processo de queima que chega a 1000 graus. Além disso, a artista está expondo também miniaturas de 1 a 4 centímetros que são feitas para a ampliação em tamanhos maiores. Estas últimas estão expostas em uma redoma. "Eu posso transformar as miniaturas em qualquer dimensão", afirmou a artista. Jo também trabalha com bronze e possui seu ateliê no bairro do Laranjal, em São Gonçalo.

Jo contou que busca representar o lado humano em suas obras de arte. "Eu tiro inspiração do meu dia a dia, do que eu vejo, para fazer as minhas esculturas. Eu sempre procuro colocar o que eu vejo com relação a amor, ao humano, eu busco mais o lado humano das pessoas. Eu sinto que hoje as pessoas tão carentes de humanidade e eu busco isso", contou. 

Sobre a exposição, ela espera que agrade a todos. "Eu espero que as pessoas olhem e  gostem, pq arte a gente não explica, cada pessoa sente de uma forma. Toda exposição que eu faço, as pessoas gostam. Então, com essa, eu tenho uma expectativa positiva", relatou.

A artista trabalha com diversos tamanhos de esculturas
A artista trabalha com diversos tamanhos de esculturas | Foto: Divulgação
 

Jo já expôs o seu trabalho em diversos lugares do Rio. Ela já produziu o busto de Luís Antônio Pimentel, que está exposto na Praça Getúlio Vargas, em Icaraí, além de bustos de outros grandes nomes na Academia Fluminense de Letras. Jo também tem trabalhos expostas na Universidade Federal Fluminense, na Ordem dos Advogados do Brasil, além de escolas e outros órgãos municipais. Ela também já fez medalhas e troféus para a Câmara Municipal de São Gonçalo. 

A artista adiantou seus planos para o futuro. "Eu já tenho material para mais cinco exposições. A próxima, inclusive, pode ser em Rio das Ostras", contou.

A mostra "Interações" está exposta no Espaço Cultural Correios, que fica na Avenida Visconde do Rio Branco, no número 481, no Centro de Niterói. A exposição ficará lá até o dia 06 de março de 2021 e pode ser visitada de segunda a sábado, das 11h ás 18h.

Trajetória 

Jo começou a desenhar ainda muito nova, em sua cidade natal. Ao se mudar para o bairro do Zé Garoto, em São Gonçalo, com 11 anos, ela continuou descobrindo sua paixão pela arte. 

| Foto:
 

"Eu sou filha de pastor e eu sempre ia com meu pai no cemitério no interior de Campos. Lá, eu via as esculturas e desenhava as coisas ao redor. Quando me mudei para São Gonçalo, eu ia, algumas vezes na semana, junto com a minha irmã mais nova, no cemitério próximo ao Paraíso. Ali eu ficava horas analisando as esculturas e os desenhos. Em casa, eu tentava reproduzir tudo no sabonete. Por isso, eu gosto de trabalhar na pedra, porque eu aprendi esculpindo e não modelando", disse ela. 

Jo, atualmente, dá aulas em um ateliê em Niterói. "Eu ensino em qualquer dimensão. Eu tenho um ateliê com algumas alunas em Icaraí. Lá, eu dou aula de escultura e uma outra pessoa da aula de pintura", contou.

Para quem quiser conhecer mais do trabalho de Jo, basta seguir a mesma no Instagram (@jograssini).

*Estagiária sob supervisão de Marcela Freitas 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas