Câmara de São Gonçalo diz não às vans

Por 16 votos a 7, vereadores vetam mensagem para o retorno do transporte alternativo

Enviado Direto da Redação

Foto: Julio Diniz

Votação para a regulamentação das vans foi realizada em sessão extraordinária, ontem

Foto: Julio Diniz

Por Celso Brito

Com 16 votos contrários e sete a favor, projeto de lei encaminhado à Câmara dos Vereadores de São Gonçalo pelo prefeito Neilton Mulim, que visava regulamentar o transporte complementar no município, foi reprovado na votação que ocorreu ontem. Esta foi a terceira tentativa da prefeitura em legalizar o transporte alternativo na cidade.

“Lamentamos a decisão da Câmara porque o intuito sempre foi ofertar maior abrangência nos serviços e tarifas mais justas, do que a população vem sendo submetida. Respeitamos a independência do Poder Legislativo, porém nossa defesa segue na esfera judicial, pois nossa meta são os interesses da população”, afirmou o secretário de Transportes, Jonadab do Carmo.

A sessão extraordinária convocada no recesso teve início com manifestações. Enquanto os motoristas de van queriam a aprovação a qualquer custo, para que voltassem a trabalhar, os rodoviários (a maioria motoristas de ônibus) ameaçavam entrar em greve, caso a proposta fosse aprovada.

Vinte e três vereadores estavam presentes na Casa. Quatro parlamentares justificaram suas ausências. A vereadora Isa mandou um atestado médico. Dudu do Catarina mandou fotos dele internado numa clínica, assim como o vereador Geovane Raios do Sol, que postou as fotos numa rede social. Ele foi atropelado e também está internado. Amarildo Aguiar está preso.

Os votos - Votaram a favor da proposta do prefeito, os vereadores Alex da Agência, Armando Marins, Dejorge Patrício, Gilson da Cefen, Jorge Mariola, Marcelo Drumond e Sérgio Gevu. Contra o projeto votaram Russo da Marmoraria, Maciel, Lecinho, Alexandre Gomes, Diego São Paio, Dilvan Aguiar, Dr. Frederico, Geiso do Castelo, José Carlos Vicente, Marcos Rodrigues, Marlos Costa, Capitão Nelson, Professor Paulo, Ricardo Pericar, Thiago da Marmoraria e Diney Marins, presidente da Câmara. Desde maio, os veículos alternativos estão proibidos de circular por decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

3 (1) cópia

Veja também