Fuzis apreendidos

Enviado Direto da Redação
A maior parte das armas foi apreendida em favelas

A maior parte das armas foi apreendida em favelas

Foto:

A Polícia Militar do Rio de Janeiro aprendeu este ano – de janeiro até o início deste mês – 300 fuzis em ações policiais. O fuzil de número 300 (modelo Colt 5,56) foi encontrado esta semana na comunidade do Barbante, na Ilha do Governador, pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). As maiores apreensões deste tipo de armamento foram realizadas pelo 41º BPM (Irajá), Bope e 9º BPM (Rocha Miranda). Entre os principais modelos encontrados estão AR15, AK47  e FAL 762. No ano passado, a PM apreendeu 296 fuzis.

– Este número mostra que temos trabalhado para retirar estas armas das mãos de criminosos. Os fuzis representam apenas 3% de todo o armamento encontrado no estado, porém acabam sendo um grande alvo de nossas operações, pela grande capacidade letal – afirmou o coordenador de Comunicação Social da corporação, major Ivan Blaz.

De acordo com o policial, 51% das apreensões de armamentos no estado acontecem em patrulhamentos de rotina, como nas blitzes. 

– É importante que as pessoas compreendam a necessidade das abordagens policias. Nossas apreensões são exitosas, sobretudo, em abordagens a veículos e pessoas. Outro ponto interessante é que estes fuzis não são, em sua maioria, fabricados em território nacional. São produzidos na China e entram no Brasil pelo Paraguai – acrescentou Blaz.

 Diversos portes

Entre janeiro e outubro deste ano, 7.444 armas de diversos portes saíram das ruas através de ações policiais. Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), pistolas e revólveres são os armamentos mais apreendidos. Em outubro, das 715 armas apreendidas, 285 foram pistolas e 281, revólveres. No total, foi no interior que se recolheu o maior número de armamentos: 261, seguida pelas 247 apreensões na capital, as 155 na Baixada e as 52 na Grande Niterói.

Veja também