Niterói e a Mianyang na China se tornam cidades-irmãs

Esta ligação prevê um intercâmbio entre áreas.

Escrito por Redação 21/10/2021 22:03, atualizado em 21/10/2021 23:03
Está parceria promete trazer benefícios para as duas cidades
Está parceria promete trazer benefícios para as duas cidades . Foto: Divulgação

A cidade de Niterói e a cidade de Mianyang na China, se tornaram nesta quinta-feira (21) cidadãs-irmãs, após assinarem um termo de cooperação. O Memorando de Entendimento de Cooperação Amigável, abrirá portas para intercâmbios nas seguintes áreas, ciência e tecnologia, economia e comercio, esportes, agricultura, educação e turismo, todos com benefícios mútuos. Junto do convênio, um formulário de atividades será feito, podendo assim ajudar a traçar projetos cooperativos.

O prefeito de Niterói, Axel Grael, disse ser um privilégio trocar estas experiencias com a China, que possui uma história muitos conhecimentos nos mais diferentes aspectos no desenvolvimento humano. 

“Por outro lado, Niterói, que tem um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano do País, também se orgulha de seus atributos naturais, econômicos e sociais. Junto à Mianyang, vamos promover o desenvolvimento bilateral e aperfeiçoar a amizade dos povos das cidades irmãs”, disse o prefeito de Niterói.

Na cerimônia de assinatura do convênio, feita de forma virtual, Grael ainda destacou que Niterói está preparada para a retomada pós-pandemia da Covid-19, já que a prefeitura está investindo R$ 2 bilhões em obras para infraestrutura urbana, que gerarão 12 mil empregos e deixará a cidade mais visível para investimentos privados. “Entre as ações estão, a implantação de um complexo esportivo que deixará a cidade em condições de receber eventos internacionais, além de obras estruturantes e intervenções urbanísticas. Tudo isto só está sendo possível porque Niterói agiu com seriedade e apostou na ciência durante o combate à pandemia do novo coronavírus”, reforçou Axel Grael.

O vice-presidente de Mianyang, Lyu Jian, disse que o acordo ajuda na criação de uma nova jornada de desenvolvimento, um intercambio comercial e inovação tecnológica entre as cidades. “Há um provérbio que diz que nem as montanhas e o mar podem afastar as pessoas com aspirações comuns. Brasil e China são os países em maior desenvolvimento no hemisfério oriental e ocidental, com aspirações comuns. Esse memorando de entendimento não só reflete o desejo de cooperação, mas também um novo capítulo de desenvolvimento, onde às duas cidades ganhem. Será uma oportunidade de desenvolver o comércio, o desenvolvimento tecnológico e o intercâmbio local”, disse o vice-presidente.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas