População se solidariza com Porto da Pedra e cria campanha em prol da escola na internet

Movimento foi criado após 'Tigre' cancelar primeiro ensaio técnico por falta de apoio da Prefeitura

Enviado Direto da Redação
População lançou símbolo de campanha de solidariedade à Porto da Pedra

População lançou símbolo de campanha de solidariedade à Porto da Pedra

Foto: Divulgação

Depois do cancelamento do ensaio técnico que seria realizado no último domingo (12), por falta de apoio oficial da Prefeitura de São Gonçalo, a Porto da Pedra agora é alvo de uma grande corrente de solidariedade que não vem de órgãos governamentais. Sensibilizados com o trabalho realizado pela agremiação com vistas ao desfile oficial que será realizado pela Série A, na Marquês de Sapucaí, na Sexta-Feira de Carnaval, em fevereiro próximo, os amantes do samba no Estado do Rio criaram uma campanha de solidariedade nas redes sociais. 


Batizada de 'Operação #Forçatigre, a campanha começou no último sábado, logo após a escola anunciar oficialmente o cancelamento do primeiro ensaio técnico de rua de 2020 em SG, como parte integrante da preparação da escola para a apresentação na Marquês de Sapucaí. O símbolo tem ainda a as frases 'O povo de São Gonçalo te apoia' e 'Não podem calar teu rugido'. A Porto da Pedra é a quarta a desfilar, na sexta-feira de Carnaval e a vitória pode representar a conquista da única vaga de acesso ao Grupo especial, um antigo sonho dos sambistas da agremiação para voltar a fazer parte da chamada 'elite'.    


O enredo ‘Do Bonfim à Sapucaí – o que que a Baiana Tem’, a ser apresentado em 2020, está sendo desenvolvido pela carnavalesca Annik Salmon. No fim do ano passado,  os vereadores da Câmara de São Gonçalo aprovaram uma emenda ao orçamento, de autoria de Jorge Mariola (PHS), propondo o repasse de  R$ 300 mil para o ‘Tigre’ para ajudar a custear o projeto do Carnaval 2020, que deve ultrapassar a casa dos R$ 2,5 milhões.


Apesar da aprovação, a emenda ainda precisa passar pelo aval do Prefeito José Luiz Nanci, que ainda não se manifestou oficialmente sobre o assunto. A Assessoria do Prefeito informou que o projeto está em análise na Secretaria de Planejamento. Nanci diz que a crise financeira pela qual atravessa o poder público dificulta uma solução mais rápida, mas revelou que haverá auxílio à escola, por parte da Prefeitura, apesar de enumerar algumas prioridades, como o salário dos servidores e os contratos.   


A demora na aprovação do projeto por parte do Executivo foi alvo de reportagem em 'O SAO GONÇALO' que está gerando vários comentários nas redes sociais, a grande maioria, criticando o Prefeito por não priorizar a ajuda à escola, considerado pelas pessoas como o  melhor 'cartão postal' da imagem da cidade atualmente, uma vez que a transmissão dos desfiles oficiais é veiculada não apenas em âmbito nacional, mas em países do exterior. 

Protesto - A incerteza sobre a falta de apoio faz com que os componentes do bloco carnavalesco ‘Quem manda é a mulher’, criado por sambistas ligados à escola, a organizar, pelo segundo ano consecutivo, um grande desfile, para protestar  contra a situação. O bloco promete, mais uma vez, abordar o cotidiano político na cidade no seu hino oficial. Na primeira apresentação da agremiação pelas ruas de São Gonçalo, há dois anos, cinco mil pessoas fora às ruas.

Veja também