Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,3281 Euro up 5,5641
Search

Caderno Educação - Procura por aulas de russo cresce com a aproximação da Copa do Mundo

UFF oferece cursos para estudantes e externos

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 24 de janeiro de 2018 - 15:38
>> Com a realização da Copa do Mundo na Rússia esse ano, cresce o interesse no aprendizado da língua do país
>> Com a realização da Copa do Mundo na Rússia esse ano, cresce o interesse no aprendizado da língua do país -

Com cerca de 280 milhões de falantes nativos, o russo figura como uma das seis línguas oficiais das Nações Unidas (ONU). Com a realização da Copa do Mundo na Rússia esse ano, a procura pela aprendizagem da língua ou por expressões do idioma vem crescendo. 

Segundo a professora de russo, do Shirai Idiomas, Alissa Artashyan, quem deseja conhecer o país além de Moscou e São Petersburgo, deve estudar o idioma. “Quem visita a Rússia consegue conversar com algumas pessoas em inglês, mas somente em Moscou e São Petersburgo. Em outras repúblicas, é necessário falar o russo”, explicou a professora, que nasceu na Rússia, mas mora no Brasil desde 2011.

Porém, Alissa ressalta que aprender o idioma requer dedicação além das aulas, já que o alfabeto é cirilico, diferente do português, baseado no latino. Além disso, existem diversos dialetos. “O russo não é a língua obrigatória, já que é oficial apenas na Rússia e secundária em outros países. Porém, é importante para o mercado de trabalho conhecer outras línguas”, avalia.

O professor ucraniano Oskar Slushchenko, que dá aulas de russo no Yspanus, em Icaraí, acrescenta que o alfabeto de 33 letras tem sons diferentes e letras que não existem no português. “Até mesmo a forma mais branda e mais dura de falar algumas palavras levam a significados diferentes. Além disso, tem muitas palavras homônimas, que têm a mesma escrita, mas significado diferente”, disse.

Oskar ainda contou que o idioma pode ser aprendido em um ano, mas o Yspanus tem cursos intensivos de três meses para quem quer acelerar a aprendizagem.

“Na própria Rússia, durante as férias de verão, entre junho e agosto, algumas escolas dão cursos intensivos da língua para estudantes de outros países. O normal, durante a União Soviética, era que esses estudantes tivessem um ano de russo antes de ingressarem nos cursos que desejavam nos países que faziam parte dessa república”, informou.

De acordo com o professor, a língua é o ‘ponta-pé’ para quem deseja estudar no país, e aprender o idioma inglês virou obrigação após o fim da União Soviética. Segundo Oskar, outra língua importante no país é o alemão, pelo fato da Alemanha ser um dos principais parceiros econômicos da Rússia. O francês também é falado por algumas pessoas, devido ao fato dos nobres terem fluência no idioma durante a URSS.

A gestora do Yspanus, Monica Fernández, explica que o acesso às instituições universitárias russas é muito simples: não há vestibular ou outro tipo de concurso e sim análise curricular e avaliação do perfil do candidato.

“O semestre letivo de Medicina, incluindo alojamento, plano de saúde e alimentação, sai por R$5,5 mil, o que equivale em boa parte das faculdades privadas de medicina brasileiras a uma única mensalidade. Os cursos universitários na Rússia têm reconhecimento e prestígio internacionais, alguns deles configuram diploma duplo nos Estados Unidos, China e Europa, permitindo ao profissional uma atuação e mobilidade internacionais”, informou. 

A Rússia tem centros acadêmicos de excelência nas áreas aeroespacial, biotecnologia, medicina, com custos muito acessíveis e ainda há a oferta de oportunidades excelentes de estágio e trabalho, por exemplo, a Universidade Estatal de Moscou Lomonosov, o Instituto Estatal de Aviação de Moscou, a Academia Médica de Moscou I. M. Séchenov e a Universidade Patrice Lumumba Amizade dos Povos.

Cursos na UFF - A UFF oferece, através do Programa de Línguas Estrangeiras Modernas (Prolem), o curso de russo para a comunidade interna e externa da universidade. O programa conta, atualmente, com cinco cursos de línguas estrangeiras modernas: alemão, espanhol, francês, inglês e italiano, sob a coordenação de professores do Instituto de Letras. O russo é a primeira língua não ocidental oferecida no Prolem. Para frequentar o curso, é necessário ter mais de 16 anos e concluído o Ensino Fundamental.

Maiores informações sobre as incrições podem ser obtidas pelo telefone (21) 2629-2517 ou pelo email prolem.atendimento@gmail.com. A inscrição terá que ser feita presencialmente pelo próprio interessado, munido de cópia do RG, Carteira de Trabalho ou passaporte, CPF e comprovante de residência.

Para fins de descontos nas mensalidades, é necessário levar além dos documentos acima, originais e cópias de declaração como aluno (universidade pública ou particular ou escola pública); contra-cheque como servidor público ou aposentado; ou carteira de trabalho, como professor do ensino básico, caso pertença a uma dessas categorias.

O idioma também é ensinado no âmbito do Programa de Universalização de Línguas Estrangeiras (Pule). Criado pela Superintendência de Relações Internacionais (SRI), o Pule atende aos alunos de graduação da UFF, com prioridade para aqueles que participam dos programas da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes).

As turmas iniciantes do Pule só abrem no meio do ano. É possível obter outras informações na SRI através do email sri@id.uff.br.

Matérias Relacionadas