Uma viagem pela leitura OSG distribui livros a passageiros de ônibus

Enviado Direto da Redação

No Brasil, estima-se que 25% da população utiliza o ônibus como condução para ir ao trabalho ou à escola. E, de acordo com dados de 2015, da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), a maioria dos brasileiros gasta cada vez mais tempo no trânsito. Em 2011, 26% dos usuários levavam uma hora, em média, dentro de uma condução. Três anos depois, esse número aumentou para 31%. E, se para aliviar o estresse e a ansiedade durante esse trajeto diário, as pessoas usassem esse tempo para ‘viajar’ na leitura de um livro? É o que propõe a intervenção literária de O SÃO GONÇALO em parceria com as viações Mauá e Galo Branco, que diariamente transportam milhares de passageiros na região.

Com o objetivo de incentivar o acesso à cultura e ao lazer, cerca de 400 livros foram distribuídos em coletivos destas empresas na última semana. Idealizada pelo gerente de distribuição de OSG, Bruno Sereno, a ação aconteceu em linhas que ligam São Gonçalo a Niterói. As obras foram coletadas por meio de doações. “Tenho muita satisfação de, mais uma vez, fazer parte de uma campanha tão importante do jornal O SÃO GONÇALO de incentivo à leitura. O futuro das nossas cidades passa pela leitura e pela educação. Fomentar e facilitar o acesso aos livros através dessa ação social é gratificante”, afirmou.

De forma criativa, as intervenções nos coletivos tinham a intenção de surpreender os passageiros. Tudo começava com a entrada de um ator no ônibus, segurando uma bolsa, passando-se por um vendedor ambulante. No decorrer do texto, o personagem desmistificava a real intenção do projeto e pedia que, em troca dos livros, os passageiros pudessem dar um sorriso e a promessa de que os livros seriam lidos e passados adiante.

“Foi uma ação muito boa, de iniciação e incentivo à cultura e à leitura que, na cidade, ainda é muito falha. Somente desta forma, a gente consegue mudar a população e o mundo. A gente só melhora abrindo a cabeça. Por não acontecer com frequência, acredito que se conseguirmos fazer os passageiros lerem um trecho de cada livro, já é uma vitória”, contou André Phellype, de 23 anos um dos atores convidados para participar da ação.

Moradora do Porto da Pedra, em São Gonçalo, a atriz Larissa Lopes, de 20 anos, também foi uma das integrantes do projeto e considerou – como maior desafio – conseguir chamar a atenção do público para uma causa tão nobre, porém pouco difundida. “Quando as pessoas veem um vendedor, elas olham para a janela e não dão muita atenção. Como atriz, foi um desafio muito grande. No teatro, o público está ali para te enxergar, assistir sua performance. Mas no ônibus, não. As pessoas estão indo trabalhar, sem tempo para prestar atenção”, detalhou a jovem, que fez se apresentou nos ônibus junto com o ator Yuri Ataliba, de 21 anos.

Aprovação com nota 10

Retribuindo o carinho dos ‘personagens’, os usuários dos ônibus onde aconteceram as intervenções aprovaram a iniciativa de incentivo à leitura e prometeram repassar os livros adiante. De acordo com a assistente social Jéssica Dornelas, de 30 anos, passageira da linha 531 (Jardim Alcântara-Niterói), a ação oferece uma nova oportunidade de visão para os cidadãos que utilizam o transporte público na cidade.

"Nada melhor do que estar dentro do ônibus e ter a possibilidade de abrir uma nova janela para o mundo. É um trabalho belíssimo, que precisa ser muito divulgado. Você chegar ao ônibus e ser presenteada com um livro, é muito legal. Na última campanha, eu achei um livro e deixei também", contou Jéssica.

Amante de uma boa leitura, a vendedora Larissa Werneck, 22, também se surpreendeu com a ação dentro do coletivo. "Eu me surpreendi muito pelo fato de não ter que retribuir com um valor em si, mas com o objetivo de promover o interesse à leitura. É uma campanha muito interessante, ainda mais para mim, que adoro ler", disse a jovem. 

A aposentada Lucimar Menezes, 58, foi uma das contempladas. A moradora de Santa Luzia, em São Gonçalo, se comprometeu a passar o presente para a irmã, assim que acabar a leitura. “Fiquei muito surpresa com a ideia, mas achei legal. Divulgar a leitura é necessário e quanto mais pessoas forem atingidas, melhor”, afirmou.

No auge dos seus 80 anos, a aposentada Pedrina de Souza, moradora de São Gonçalo, disse que nunca teve uma experiência como essa dentro do ônibus. Além de agradecer ao ator que fez a performance, ela parabenizou a iniciativa. 

“A gente que anda de ônibus todo dia já fica cansado das pessoas oferecendo os produtos. Eu peguei e não levei muita fé. Mas quando ele foi falando do que se tratava, eu parei até de mexer no celular e ouvi atenta ao que ele disse. Achei linda a iniciativa”, narrou a idosa.

Veja também