Amor e solidariedade: Familiares prestam homenagens para pacientes doadores de órgãos em SG

O ato aconteceu no Jardim do Doador de Órgãos do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. Graças a essas ações na unidade, ao menos 30 pessoas já foram salvas

Escrito por Redação 26/08/2021 18:10, atualizado em 26/08/2021 18:55
O hospital promoveu a manifestação de carinho
O hospital promoveu a manifestação de carinho . Foto: Divulgação

O Jardim do Doador de Órgãos do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), em São Gonçalo, voltou a florir este mês. Familiares de quatro pacientes que tiveram morte encefálica confirmada e decidiram doar os órgãos dos entes queridos, foram até o local para uma cerimônia de plantio de uma muda de jasmim, simbolizando a vida dos pacientes que tiveram os órgãos doados. O ato de amor e solidariedade salvou a vida de pelo menos 30 pessoas com a captação de fígado, córneas, rins, tecidos, pele, pâncreas, pulmões e coração.   

Localizado na área central do Heat, o Jardim do Doador foi criado com o objetivo de representar a coragem da família pela escolha da doação, enquanto o jasmim plantado na terra significa o órgão vivo que foi transplantado no receptor, que vai crescer e perfumar o ambiente. O projeto é inédito no Brasil e segundo o psicólogo Luiz Antônio Silva, que integra a equipe da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do hospital, o projeto tem dois protagonistas:

"Nosso principal objetivo é esclarecer à sociedade o real significado da doação de órgãos. E, ainda, exaltar a família e o doador, os grandes protagonistas desse projeto. Sem o doador não temos como ter os órgãos saudáveis e sem a autorização da família,  não temos a doação", garantiu o psicólogo.

Entre os familiares que participaram do plantio no Jardim do Doador, estava os do paciente Gilberto de Oliveira, de 54 anos, que entrou no Centro de Trauma do Hospital Estadual Alberto Torres no último dia 18 após sofrer uma queda. Em estado grave, o paciente teve morte encefálica confirmada dias depois da sua internação. Após autorização da família, a equipe da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes fez a captação de fígado, rins, tecido e pele.

"Estamos tristes, mas doar os órgãos do Gilberto foi uma forma de garantir vida a outras pessoas", afirmaram os familiares após o plantio da muda do jasmim no Jardim do Doador. 

Bastante emocionados, familiares do estudante Pedro Henrique Oliveira, de 17 anos, vítima de acidente de moto, também participaram do plantio de uma muda de jasmim no Jardim do Doador. O paciente deu entrada no Centro de Trauma do Heat e chegou a ser operado e internado em um dos Centros de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade. Com todos os protocolos necessários na tentativa de dar sobrevida ao paciente com morte cerebral cumpridos, a equipe entrou em ação no processo de acolhimento e na possibilidade de doação. Após a autorização dos familiares, os médicos, psicólogos e assistentes sociais iniciaram as tratativas junto ao Estado e captaram fígado, rins, pâncreas, pulmões, córneas, pele e coração. 

O Hospital Estadual Alberto Torres, administrado pelo Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas) em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), está entre as primeiras unidades do estado do Rio em captação de órgãos. O Heat é uma unidade de urgência e emergência, especializado no socorro a pacientes com múltiplos traumas. A captação de órgãos na unidade, nos últimos meses, foi prejudicada devido a pandemia do coronavírus e, consequentemente, o plantio das mudas de jasmim no Jardim do Doador de Órgãos. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas