30 de Setembro de 2014

Polícia
Enviado por Celso Brito e Viviane Romero 5/10/2009 23:35:05

Tensão na Chumbada: novo capítulo da guerra em São Gonçalo

Por determinação do chefão do tráfico na Favela da Rocinha, no Rio, espécie de quartel-general da facção Amigo dos Amigos (ADA), cinco potentes carros teriam sido roubados, no fim da noite de domingo, no entorno do centro de São Gonçalo. Os veículos seriam usados em 'bondes' por aliados da Chumbada para promover uma invasão ao Morro Menino de Deus, de onde partiram traficantes rivais do Comando Vermelho (CV), na madrugada de sábado, para tomar pontos de venda de drogas na Chumbada. Disposto a retomar o terreno perdido e enfraquecer as bases dos inimigos no Menino de Deus, Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, 01 na hierarquia do tráfico na Rocinha, teria enviado 70 'soldados' para São Gonçalo ontem.
"Isso pode representar o segundo capítulo dessa guerra, que já teria deixado sete mortos", disse um policial do 7º BPM (São Gonçalo) que participa da ocupação na Chumbada, junto com colegas do Batalhão de Choque (BPChoque).
Agenda - A lista com os apelidos de mais quatro homens ligados à ADA que estariam marcados para morrer pelos invasores do CV, já está nas mãos da polícia. De acordo com denúncia de moradores, trata-se dos traficantes conhecidos como Pablo, Ieié, Timbé e Jorginho. Esse último teria sido capturado, mas conseguiu pular do Fiat Doblô, usado pelos invasores, no momento em que a porta do carro abriu quando o veículo passava por um buraco.
Moradores da localidade disseram que Jorginho estaria ferido e refugiado em local distante da Chumbada para se recuperar. Os outros procurados permaneceriam em um ponto da comunidade, conhecido como Caixa D’Água, preparando-se para enfrentar os rivais. Eles estariam contando com o apoio dos recém-chegados aliados da Rocinha, na Zona Sul do Rio, para impedir que o complexo seja totalmente retomado pelo Comando Vermelho.
Uma informação repassada pelo Disque-Denúncia ao Serviço de Inteligência (P-2) do 23º BPM (Leblon), responsável pelo patrulhamento na Rocinha, ontem, dá conta que o traficante Nem teria designado seu braço-direito, identificado apenas como Coelho, para comandar a invasão ao Menino de Deus, junto com Roupinol, que já comandou a Chumbada, à época, em que os líderes eram os irmãos Luiz Paulo Gomes Jardim, o Luiz Queimado, e Paulo César Gomes Jardim, o Paulinho Madureira, que estão presos e são ligados ao CV.
"Não aguentamos mais essa situação", disse uma moradora, resumindo o temor de moradores da Chumbada.

Caminhonete do Cerol

Mais vestígios da invasão de traficantes do Comando Vermelho (CV) no Complexo da Chumbada, no Mutondo, em São Gonçalo, na madrugada de sábado, foram encontrados ontem durante operação de agentes da 72ª DP (Mutuá) na comunidade. Uma caminhonete Hyundai Tucson, placa KPP-1172, roubada na área da 79ª DP (Jurujuba), foi localizada no alto do complexo com a mala coberta por sangue. Buscas também foram realizadas para tentar encontrar os corpos de sete pessoas mortas no confronto, mas sem sucesso.
Até a manhã de ontem, familiares de apenas duas pessoas estiveram na delegacia para registrar o desaparecimento. Os primos Wilson e Ubirajara Olinda da Conceição Júnior teriam sido retirados de casa, na madrugada de sábado, pelos invasores. Desde então, eles não foram mais vistos. Os dois seriam parentes do traficante Dodó, que está preso, mais continua a comandar o tráfico da cadeia.
"Tivemos denúncias de que os corpos estariam em uma área abandonada do Cemitério São Miguel. Realizamos diligências no local, mas nenhum vestígio foi encontrado. Até o momento estamos trabalhando com a possibilidade de haver apenas esses dois mortos, já que não houve mais registros de desaparecimentos", disse o delegado titular da 72ª DP, Adilson Palácio.
Denúncias de que os corpos teriam sido levados de carro para o vizinho Morro Menino de Deus, de onde teria vindo parte dos bandidos que invadiram a Chumbada, também estão sendo apuradas pela polícia. Segundo moradores do local, todos os corpos teriam sido queimados em um 'microondas'.
Com o porta-malas sujo de sangue, a caminhonete apreendida estava com os vidros quebrados e um pneu furado. A polícia acredita que o veículo tenha sido usado para desovar os corpos ou para socorrer algum dos bandidos.

Bando teria coagido coveiro

Pelo menos um coveiro do Cemitério São Miguel teria sido coagido pelo traficante Neneca para enterrar alguns dos mortos em sepulturas localizadas nos fundos do cemitério. A informação foi repassada por moradores do Complexo da Chumbada e confirmada pelo coronel Marcos Daflon, comandante do 7º BPM (São Gonçalo).
"Há grande possibilidade de duas pessoas terem sido enterradas no Cemitério São Miguel. Recebemos a informação de que um coveiro teria sido coagido. Outros corpos foram retirados da comunidade num Dobló e num Gol branco. Estamos tentando identificar os responsáveis pela invasão para prendê-los o mais rápido possível", garantiu o oficial.
Testemunhas da ação contaram que outros corpos teriam sido levados para o Castelo do Mimi, localizado nos fundos do Morro Menino de Deus.

Neneca escapa de cerco

Em liberdade condicional desde fevereiro, o traficante Luiz Fernando de Abreu Farias, o Neneca, de 31 anos, teria sido o mentor da invasão, que deixou três moradores feridos e sete pessoas mortas. Segundo a polícia, Neneca teria sido expulso da Chumbada por traficantes da facção Amigo dos Amigos (ADA), juntamente com a família, há alguns anos. A invasão teria sido uma forma de vingança contra Dodó, pivô da expulsão.
De acordo com a polícia, além do envolvimento com o tráfico, Neneca está sendo investigado em diversos homicídios ocorridos na área da 72ª DP (Mutuá). Descrito como agressivo, ele teria o hábito de enterrar suas vítimas. Uma delas seria moradora do Morro Menino de Deus. O corpo da vítima foi encontrado enterrado na localidade em abril deste ano.





<< Primeira < Anterior   [ 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  ] Próxima > Última >>

Expediente | Anuncie Aqui | Trabalhe Conosco | Twitter | Comunidade no Orkut | RSS | Fale Conosco
©Copyright O SÃO GONÇALO - Todos os direitos Reservados

Ilhota Leste Comunicação