17 de Setembro de 2014

Geral
Enviado por Redação 2/10/2010 00:45:15

Bancos continuam fechados

Amovimentação nos caixas eletrônicos das agências bancárias de São Gonçalo foi grande ontem, primeiro dia útil do mês e 48 horas após o início da greve. Os bancários estão reivindicando melhores salários e condições dignas de trabalho desde quarta-feira. Segundo o representante do Sindicato dos Bancários de Niterói, David da Costa, que estava percorrendo as agências, a adesão ao movimento é de 100% na região.
“Colocamos um funcionário em cada agência bancária próximo aos caixas eletrônicos para atender principalmente aos idosos e deficientes físicos que precisam de ajuda na hora de alguma operação eletrônica. Assim, agiliza o andamento da fila”, afirmou.

Apesar da declaração do bancário, alguns clientes reclamaram das filas e das dificuldades que encontraram nas agências para fazer depósitos, saques e pagamentos.
“Quem não tem condição ou não sabe acessar o sistema fica prejudicado. Não vi nenhum funcionário aqui ajudando a quem precisa”, lamentou o aposentado Lasseance da Silva, 61 anos.

A correntista Dalva de Souza, 46 anos, é deficiente física e reclamou das péssimas condições que as agências oferecem aos portadores de necessidades especiais.
“Essa situação complica a vida de quem precisa vir ao banco pagar contas. Estou pagando tudo pela internet, mas hoje vim tentar fazer um depósito e não consegui, disse que está indisponível”.

Quem necessitava pagar contas com o vencimento na data limite ficou prejudicado com a greve. A professora Agda Angélica, 39 anos, precisava pagar o boleto de inscrição do seu filho para fazer o ensino médio no Colégio Pedro II e não pode efetuar o pagamento devido à greve.
“Só recebo no início do mês e o boleto venceu justamente agora no momento da greve. Infelizmente não posso pagar na loteria”.

Agda contou que desistiu de receber o salário devido à demora nas filas. Segundo ela, mesmo com alguns funcionários ajudando a demora é grande.
“Fiquei uma hora e meia esperando, sem sair do lugar. É um absurdo. E como eu só posso receber no Banco do Brasil, não vai ter outro jeito. Tenho que voltar amanhã para ver se consigo sacar meu dinheiro”.

Casas lotéricas têm grande movimento

Com a greve dos bancários, as filas nas casas lotéricas aumentaram em São Gonçalo. Os clientes que costumavam pagar as contas nos bancos tiveram que enfrentar longos minutos de espera nas loterias. Além do transtorno causado pela greve, o aumento das filas se deve ao prêmio acumulado em R$ 75 milhões da Mega-Sena, que será sorteado hoje pela Caixa Econômica Federal.

Esse é o terceiro maior prêmio já pago pela loteria. O primeiro foi em 2009, na Mega-Sena da Virada, que sorteou R$ 144,9 milhões, e o segundo, de R$ 92 milhões, saiu no início de setembro passado.

Ontem, milhares de gonçalenses foram até as loterias fazer suas apostas e tentar a sorte. O prêmio está acumulado há sete sorteios e o futuro milionário pode sair hoje, às 21h. O pedreiro Reginaldo Ferreira, 44 anos, conta que costuma fazer apostas em todos os concursos da Mega-Sena para ver se melhora de vida.
“Toda semana eu venho fazer um joguinho. Gostaria muito de ganhar, nem que seja só R$ 1 milhão. O que eu queria mesmo com esse dinheiro todo é não ter que trabalhar mais para ninguém e ser meu próprio patrão.”

O chefe de segurança Lúcio Fernandes, 65 anos, é um apostador fiel e sempre que pode vai à loteria tentar a sorte. “Eu quero esse dinheiro todo para ajudar as pessoas. Se eu ganhar vou ajudar o Abrigo Cristo Redentor. No fim da vida, para que eu quero dinheiro? Só quero ajudar a quem precisa”.

Quem ainda não fez suas apostas tem até as 19h de hoje para escolher seis números que podem fazer de um gonçalense um milionário.





<< Primeira < Anterior   [ 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  ] Próxima > Última >>

Expediente | Anuncie Aqui | Trabalhe Conosco | Twitter | Comunidade no Orkut | RSS | Fale Conosco
©Copyright O SÃO GONÇALO - Todos os direitos Reservados

Ilhota Leste Comunicação