31 de Outubro de 2014

Geral
Enviado por Fernanda Pereira 24/12/2009 16:00:54

O endereço da fé em São Gonçalo

Apesar das divergências históricas e da falta de explicação científica, há um consenso entre os frequentadores: o morro situado entre os bairros Amendoeira, Coelho e Candoza, em São Gonçalo, é abençoado e capaz de conceder milagres. Para fazer seus pedidos e orar, centenas de pessoas visitam o local que recebeu oficialmente o nome de Monte das Oliveiras, em referência ao monte de mesmo nome localizado em Jerusalém, onde Jesus teria passado suas últimas noites, segundo relatos bíblicos.

O nome foi dado por um projeto de lei do vereador Jorge Mariola, a pedido da prefeita Aparecida Panisset, logo no início de seu primeiro mandato. Isso porque ela mesma tem o hábito de ir ao monte pelo menos uma vez por mês. Antigos frequentadores do local contam que Panisset conseguiu a benção de ser eleita deputada estadual, em 2002, graças a esse compromisso. Mariola disse que quase deu outro nome ao morro.
“Eu passei parte da minha infância no bairro do Coelho e ouvia os mais antigos contarem histórias sobre curas de doenças pulmonares conseguidas por pessoas que iam ao monte se comunicar com Deus. Não sei bem como isso começou, mas o número de visitantes cresceu rapidamente. Como vereador, eu queria dar um nome ao lugar, que passou a ter importância religiosa para os cristãos e pensei em chamar de Monte Sião. Mas a prefeita disse que tinha tido um sonho, onde lhe foi revelado o nome Monte das Oliveiras”, contou.

Uma das versões da história é contada pela pastora Norma Cardoso da Silva, de uma igreja evangélica do Barro Vermelho, também em São Gonçalo. Segundo ela, em 1985, um grupo começou a se reunir sob a torre de energia elétrica, situada no ponto mais alto do monte. Na época, o morro era tomado por vegetação fechada. A grama verde que lhe dá o ar divino é resultado do cuidado de alguns donos de sítios, por colocarem seus bois para pastar no local.
“O acesso era muito difícil, um dia jogamos um vidro de azeite e deixamos, quando voltamos estava gramado. Fazíamos obras de cura e libertação. Reuníamos pessoas que tinham doenças incuráveis pela medicina e fomos abençoados com vários milagres. Um dos nossos irmãos, Luciano, morador do Coelho, era aleijado e conseguiu voltar a andar. Uma criança com doença pulmonar ficou completamente curada sem a ajuda de remédios”, relatou.

Luis Candido, de 47 anos, funcionário da prefeitura responsável pela limpeza do local, confirma a narração de Norma. Durante anos, ele fez campanha para que as autoridades olhassem pelo lugar e facilitassem o acesso. O carinho pelo monte surgiu desde que sua filha deficiente recebeu a doação de um carro adaptado, depois de diversas orações realizadas no morro.

Já o comerciante Sérgio Vieira Rangel, 50, chamado de Abençoado por morar aos pés do morro, conta que pessoas de diversas cidades e até outros estados começaram a subir pelos fundos de sua residência há cerca de 20 anos. O motivo ele desconhece, mas foi o monte o responsável por se tornar uma pessoa cristã.
“Foi lá em cima que eu conquistei minha aposentadoria. Hoje no meu comércio, aos pés do Monte das Oliveiras, eu não vendo bebidas alcoólicas e nem poderia. Passei a ter uma vida muito mais plena, depois que comecei a acreditar”, disse.

Lecy Muniz, 64, comerciante do bairro, se curou de um câncer de garganta. “Não interessa a religião, o que conta é a crença. Eu acreditei e fiquei curado, esse monte tem poderes, com certeza. Para o Natal eu só tenho um pedido, que esse monte traga paz a todos os homens da terra, em especial aos gonçalenses”, deseja Lecy.

Prefeitura dá mais segurança aos fiéis

O desejo de paz entre os homens não é exclusividade de seu Lecy, mas este sonho ainda está longe da realidade, mesmo no Monte das Oliveiras gonçalense, local de fé e oração.

No início do ano, assaltantes atacaram uma grupo de fiéis e levaram aparelhos de celular e dinheiro. Em outra ocasião, um homem foi encontrado morto no topo do Monte. Policiais prenderam um suspeito por tráfico de drogas também na região.
“Isso acabou afastando muita gente daqui. Não sei como têm coragem de fazer isso com quem vem orar”, disse uma moradora que preferiu não se identificar.

No dia 6 de dezembro, a prefeita Aparecida Panisset inaugurou a reforma do Monte das Oliveiras. Além de recuperar a Rua Sem Saída, que dá acesso ao local, a Prefeitura instalou uma guarita da Guarda Municipal e postes de iluminação pública. A Polícia Militar designou patrulhas para efetuarem rondas na localidade.

Local da última ceia de Jesus e apóstolos

O Monte das Oliveiras original faz parte da fronteira ocidental do Deserto da Judéia, a leste da Cidade Antiga de Jerusalém. O nome foi dado devido às oliveiras que cobriam suas encostas no passado. A ocupação foi dificultada pela inapropriada formação rochosa, o que explica a ausência de residências no local.

De acordo com os relatos bíblicos, Jesus passou seus últimos dias no Monte das Oliveiras, onde transmitiu muitos de seus ensinamentos. Esse teria sido o destino de Cristo e seus apóstolos após a última ceia.

A tranquilidade do lugar permitia que o filho de Deus fizesse suas orações pelos homens. Também foi no Monte das Oliveiras que Jesus se entregou para o sacrifício e foi preso.





<< Primeira < Anterior   [ 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  ] Próxima > Última >>

Expediente | Anuncie Aqui | Trabalhe Conosco | Twitter | Comunidade no Orkut | RSS | Fale Conosco
©Copyright O SÃO GONÇALO - Todos os direitos Reservados

Ilhota Leste Comunicação