São Gonçalo realiza palestras em postos de saúde com o tema prevenção ao suicídio

O atentado contra a vida mata 11 mil pessoas por ano no Brasil

Enviado Direto da Redação
Secretaria de saúde de São Gonçalo vai realizar atividades em postos de saúde em setembro

Secretaria de saúde de São Gonçalo vai realizar atividades em postos de saúde em setembro

Foto: Divulgação

A Secretaria de Saúde de São Gonçalo irá realizar, durante todo o mês de setembro, diversas atividades sobre a prevenção do suicídio em dezenas de unidades de saúde do município. De acordo com o Executivo, o principal objetivo da campanha “Setembro Amarelo” é alertar os pacientes sobre as causas e consequências da doença.

“Um conjunto de fatores leva a pessoa a ter pensamentos de morte e levar o indivíduo ao ato. E a maioria delas, antes de tentar tirar a própria vida, fala sobre isso com alguém. É importante, cada vez mais, falarmos sobre esse tema, levarmos informação e, principalmente, solidariedade às pessoas”, enfatiza a secretária de Saúde em exercício, Maria Auxiliadora Rodrigues.

Hoje, serão realizadas atividades na USF Jardim Catarina VII, no Jardim Catarina, às 14h; USF Tiradentes e USF Waldemar Costa Nunes, ambas no Pacheco, às 9h. Amanhã, às 14h, é a vez dos pacientes da USF Floriano Barbosa, no Jardim Catarina, receberem as orientações.

A programação das atividades será realizada na Unidades de Saúde da Família dos bairros Santa Luzia e Colubandê na próxima quinta-feira; Galo Branco, na próxima segunda-feira (17); no Polo Sanitário Hélio Cruz, no Alcântara (19); USF Jardim Catarina III e USF Coelho (20); USF Oswaldo Cruz, no bairro Amendoeira (21); USF Jardim Catarina V (24); USF Jardim Catarina I e Polo Sanitário Rio do Ouro (25). Encerrando as atividades, a Secretaria de Saúde irá realizar palestras na USF Agenor José, no Jardim Catarina e na USF Jardim Alcântara no próximo dia 28, às 9h.

Segundo a Prefeitura, as causas mais comuns do suicídio são em decorrência de transtornos mentais, como esquizofrenia e bipolaridade, bem como dependência química, alcoolismo e depressão. Quando há mais de um transtorno associado, o risco de tentar contra a própria vida é maior. Segundo dados do Ministério da Saúde, em média, 11 mil pessoas tiram a própria vida no Brasil a cada ano.

Veja também