Secretaria de Meio Ambiente de SG transforma óleo de cozinha em sabão

A iniciativa teve início em junho de 2017

Enviado Direto da Redação
 Funcionárias da Secretaria Municipal de Meio Ambiente ensinam a transformação em bairros

Funcionárias da Secretaria Municipal de Meio Ambiente ensinam a transformação em bairros

Foto: Divulgação

Funcionários da Secretaria de Meio Ambiente de São Gonçalo elaboraram um projeto que consiste em recolher o óleo usado e transformá-lo em sabão. A iniciativa teve início, em junho de 2017 e, desde então, cerca de 1900 litros do produto já foram direcionados ao destino devido.

“A ideia surgiu após uma reunião com o secretário de Meio Ambiente. Eu vi na televisão um projeto parecido e decidi implantar esta ideia em São Gonçalo, o que foi prontamente atendido”, explicou Lucimar Vieira, que desenvolve o projeto com Janaína Souza e Andréa de Morais.

De acordo com o Executivo, o processo de fabricação é simples e gira em torno de 40 minutos. Diante disso, a Prefeitura informou que a equipe da secretaria está levando a ideia para dentro das comunidades, com intuito de oportunizar quem precisa complementar a renda familiar, beneficiando a população e o meio ambiente. Segundo o Executivo, em média, cinco litros de óleo podem ser transformados em cerca de 40 unidades de sabão.

Além de atender comunidades e praças, levando o projeto e conscientizando à população, a Secretaria de Meio Ambiente está com dois pontos de coleta à disposição: na Rua Cardeal Sebastião Leme, 1680, no bairro Lagoinha; e na Área de Preservação Ambiental (APA) do Engenho Pequeno. A equipe também atende pelos telefones 99601-7666 e 97586-8305.

Segundo o Executivo, no momento da entrega do óleo, o munícipe recebe em troca, gratuitamente, o sabão artesanal.

Malefícios do óleo de cozinha – O óleo de cozinha usado, quando jogado diretamente no ralo da pia ou no lixo, polui córregos, riachos, rios e o solo, além de danificar o encanamento da casa. O óleo também interfere na passagem de luz na água, retarda o crescimento vegetal e interfere no fluxo de água, além de impedir a transferência do oxigênio para a água, o que impede a vida nestes sistemas.

Quando lançado no solo, no caso do óleo que vai para os lixões ou aquele que vem com a água dos rios e se acumula em suas margens, este impermeabiliza o solo, impedindo que a água se infiltre, piorando o problema das enchentes.

Veja também