Homem morto pela PM no Rio pode ter tido guarda-chuva confundido com fuzil

Hoje (18), dezenas de pessoas protestaram no Leme

Enviado Direto da Redação
Objeto confundido com fuzil ficou manchado de sangue

Objeto confundido com fuzil ficou manchado de sangue

Foto: Divulgação

Um garçom, identificado como Rodrigo Alexandre da Silva Serrano, de 26 anos, foi morto com três tiros, ontem (17), durante uma ação policial no Morro Chapéu-Mangueira, no Leme, na Zona Sul do Rio. Moradores da comunidade acusam os PMs de confundirem um guarda-chuva com um fuzil. Um outro homem também foi baleado.

Segundo informações, o garçom e a segunda vítima estavam na Ladeira Ary Barroso quando foram atingidos. Rodrigo levou três tiros e morreu ainda no local. Já o outro rapaz foi atingido com um tiro de raspão nas costas e está fora de perigo. Ele segue internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Na manhã de hoje (18), moradores da Comunidade onde o jovem foi morto fizeram um protesto pelas ruas do Leme. Dezenas de pessoas caminharam pelo bairro carregando o guarda-chuva que teria sido confundido com uma arma e pedindo justiça e investigação pela morte do garçom.

O caso está registrado na 12ªDP (Copacabana) como "auto de resistência".

Veja também