Criança baleada no Rio do Ouro continua em estado grave

Caso aconteceu na quarta-feira

Enviado Direto da Redação

Foto: ALEX RAMOS


Era para ser mais uma quarta-feira comum para a família do pequeno João Pedro Soares da Costa, mas a caminhada semanal até a Igreja Metodista do Rio do Ouro, em São Gonçalo, foi interrompida pela violência. O menino, de apenas quatro anos, foi vítima de uma bala perdida, na noite de anteontem, na Favela da Linha. O tiro foi disparado por traficantes da comunidade e o estado de saúde da criança é grave.


De acordo com a polícia, João Pedro seguia com os pais e os dois irmãos, pela Avenida Dakar, por volta das 19h30, quando um morador que ocupava um Citroen C3 preto entrou na rua sem seguir as normas impostas pelo tráfico de drogas - abaixar os vidros, acender a luz interna e piscar o alerta. Os bandidos teriam se assustado e atiraram contra o veículo, no entanto, um dos disparos acabou atingindo o menino pelas costas.


“Eu me sinto muito triste. Estávamos indo para a igreja, como fazemos todas as quartas e domingos, seguindo o caminho de Deus e indo pedir paz. Mas não temos mais o direito nem de ir para a igreja, o ambiente que nos acolhe, até disso estamos sendo privados. Infelizmente meu filho está numa situação que é de risco, mas ele vai melhorar. Estou vivendo essa dor, essa agonia. É um desespero muito grande, é uma tristeza que só eu como pai sei o que estou passando. O João estava feliz indo para a igreja como sempre ia, agora só me resta orar pela recuperação dele”, lamentou o pai do menino, um pedreiro de 34 anos.


A criança foi socorrida pelos próprios familiares para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. O tiro perfurou um dos pulmões e o fígado de João Pedro, que passou por cirurgia e encontra-se internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) pediátrico da unidade. Segundo os médicos, o estado de saúde dele é considerado grave. “A bala perfurou um pulmão dele. A situação é de risco, mas ele está num quadro estável, se recuperando aos pouquinhos. Com fé em Deus, tenho certeza que ele voltará para casa”, declarou o pai.


O caso foi registrado na 75ªDP (Rio do Ouro). De acordo com o delegado Leandro Gontijo, responsável pelas investigações, o chefe do tráfico da Favela da Linha, Adilson Bittencourt Estabanez Junior, o Juninho ou JR, determina que moradores sigam à risca a cartilha de entrada na comunidade com veículos para evitar ser surpreendido por ações policiais. O traficante ainda seria responsável por mandar que seus ‘soldados’ atirem contra os carros que chegam sem ligar o alerta, acender as luzes internas, abaixar os vidros e a luz do farol.


“Assim que fiquei sabendo do caso, ontem à noite mesmo (quarta), já comecei a mobilizar as equipes para resolvermos o quanto antes. Tem policiais na rua para tentar encontrar câmeras que possam nos ajudar a identificar o veículo que entrou, pois ainda estamos na dúvida quanto ao modelo, se é um C3 ou um Palio, mas sabemos que é um carro preto. Além de estarmos empenhados em identificar quem foram os traficantes que estavam no local naquele momento e que foram os responsáveis pelos disparos, que ao que tudo indica, foram efetuados de pistolas calibre 9mm”, esclareceu o delegado Leandro Gontijo. (Thuany Dossares)


Veja também